A Anatel realizou hoje, 5, a última audiência pública para debater o Plano Estrutural de Redes de Telecomunicações (PERT), cuja consulta pública se encerra neste sábado, 8 de setembro. E, segundo Eduardo Jacomassi, gerente de universalização e ampliação do acesso, houve poucos avanços com a rede de telecomunicações do país, desde o último levantamento, feito em 2016, e agora atualizado.

Conforme a Anatel, na telefonia móvel, por exemplo, ainda existem 3,8 milhões de brasileiros que moram em distritos fora da sede dos municípios que não têm sequer o serviço de telefonia celular disponível. “Há  mais de dois mil distritos sem uma antena  de celular instalada”, observou ele.

Além disso, o diagnóstico apontou que ainda existe no país municípios que só podem contar com a tecnologia 2G (que não permite o acesso à internet), realidade que apenas vai mudar no próximo ano, quando terminam as obrigações de cobertura do leilão de frequência promovido pela Anatel.

Como resultado positivo, porém, o PERT mostra que a 4G está presente nos municípios que congregam 72% da população brasileira e a 3G cobre 95% da população.