Em maio, o número de domicílios com banda larga fixa recuou 0,08%, com o cancelamento do serviço em 26,65 mil residências. Com isso, o número de acessos caiu para 31,6 milhões, mostram os dados divulgados nesta segunda-feira, 24, pela Anatel. Em números absolutos, as maiores reduções nos grandes grupos nacionais foram na Sky menos 16,05 mil domicílios (-4,87%), Oi menos 30,80 mil (-0,53%) e Vivo menos 42,52 mil (-0,57%).

Das grandes, o maior crescimento foi registrado na Claro com mais 41,79 mil domicílios (+0,44%), seguida da TIM com mais 8,20 mil (+1,63%). No mesmo período, as Prestadora de Pequeno Porte cresceram 12,73 mil domicílios (+0,16%).

Nos últimos 12 meses, mais 1,62 milhão de domicílios brasileiros passaram a contar com o serviço de banda larga fixa, aumento de 5,40%. Segundo a agência, esse crescimento foi sustentado pelas PPPs). Com elas, 1,71 milhão de domicílios passaram a contar com acesso fixo à internet, crescimento de 27,27%. Os grandes grupos nacionais telecomunicações perderam de 94,42 mil domicílios, diminuição de 0,40% no período.

Em abril de 2019, a maior participação na banda larga fixa foi registrada pela Claro com 9,49 milhões de domicílios atendidos (30,01% de mercado), seguida da Vivo com 7,47 milhões (23,62%) e da Oi com 5,83 milhões (18,43%). Se todas as PPPs se unissem, seriam a segunda maior prestadora do país com 8 milhões de domicílios (25,32%). Nos últimos 12 meses, a Claro cresceu mais 374,94 mil domicílios (+4,12%) e a Vivo e a Oi perderam 114,90 mil domicílios (-1,52%) e 386,01 mil (-6,21%), respectivamente.