Nem bem foi lançada, a Whatch TV, plataforma de vídeo sob demanda (VOD) voltada para os ISPs, conseguiu atingir uma base de 40 mil assinantes distribuída em 12 provedores regionais. Com isso fica bem próxima de sua meta que é a de conquistar contratos para 100 mil assinantes no prazo de um ano.

Seu principal executivo, Maurício de Almeida, ex-sócio da Nova Telecom, acredita que a proposta da empresa vai permitir aos provedores regionais consolidarem uma oferta triple play. Oferecer VOD para seus assinantes ainda como ISP, por sinal, foi uma das suas maiores dificuldades o que o incentivou a desenhar um novo modelo de negócios para os provedores.

A oferta da Watch TV permite aos provedores oferecerem conteúdo de IPTV de duas formas, uma SVOD (Subscribed Video On Demand), com uma assinatura para ter acesso ao conteúdo, ou TVOD( Transational Video On Demand ), o aluguel de séries ou filmes em catálogo.

A empresa já tem um acervo variado fechado com produtores de conteúdo diversos e também de variadas formas. Com a Sony, por exemplo, tem 500 títulos, com a BBC tem 150 episódios, com a Paramount tem 300 horas de programação, com a Nickelodeon Jr também 1000 episódios, além de outros como Comedy Central e MTV.

Isso significa, até agora, mais de 500 episódios de séries, 750 filmes, 200 títulos de estúdios independentes, 1.000 títulos infantis, 150 lançamentos para locação e atualização de 50 novos títulos por mês.”E estamos ampliando nossos catálogos, queremos todos os estúdios premium em nossa plataforma”, ressaltou.

A empresa reforçou também sua estrutura tecnológica, com parceiros como Kaltura, fornecedora israelense, e Akamai,que hospeda o conteúdo em seu Content  Delivery Network (CDN). Conta ainda com ferramentas de Big Data e sistemas analíticos para acompanhar o movimento dos assinantes e suas preferências.

Para  investir na sua estrutura e principalmente compra de conteúdo, Almeida aplicou até agora até agora US$ 2,5 milhões. Nesse caminho, obteve aporte do fundo de investimentos Olive Tree.

Segundo Almeida, a próxima etapa é consolidar um market place que agregue diferentes aplicativos. Para isso, já tem acordo para as apps ESPN Watch e o Noggin, da Viacom e que oferece conteúdo da Nick Jr. Pelos cálculos de Almeida, há cerca de 1000 aplicativos de conteúdo disponíveis, mas ele considera que com qualidade premium existam apenas 10. “É com eles que esperamos contar logo”, ressaltou.

A perspectiva do executivo é de implantar esse marketplace no primeiro trimestre de 2019. A Watch, por sinal, terá seu próprio aplicativo para conexão com smartTVs, inicialmente apenas para os aparelhos Samsung e LG.