Ao completar a aquisição da Coriant e se posicionar como uma das maiores fornecedoras de equipamentos de redes ópticas verticalmente integradas a Infinera considera que se tornou um dos fabricantes mais bem preparados para disputar o mercado brasileiro de ISPs.  E já faz projeções de atingir entre US$ 200 milhões a US$ 300 milhões em vendas de equipamentos para essa área.

São empresas menores mas geram um grande volume pelo alto número de provedores”, comentou Andres Madero, diretor de arquitetura de provedores e desenvolvimento de negócios. Com contratos com grandes empresas dessa área, ele quer expandir nos ISPs tier 3, de menor porte.

Para avançar nessa área, a empresa aperfeiçoou seu modelo de implantação de capacidade sob demanda baseado em software para garantir flexibilidade e um modelo mais escalável ao seu cliente. “Estamos permitindo que o ISP possa adotar o sistema pay-as-you-grow (pague conforme o crescimento), o que já é uma espécie de financiamento para o provedor”, disse o executivo.

Mesmo assim, a questão do financiamento continua a desafiar a companhia que busca formas de estimular seus parceiros financeiros a trabalharem mais próximos dos ISPs. “Essa é uma parte importante principalmente para as empresas de menor porte por conta da exigência de garantias”, analisou.

A aquisição da Coriant também trouxe para a Infinera o complemento do market share em alguns mercados importantes, como o de ICPs (Internet Content Providers). “Agora temos como clientes os seis maiores mundiais”. Na área de operadoras brasileiras, está presente em quase todas sendo a Oi a única exceção por enquanto.

Durante a Futurecom 2018, a Infinera também anunciou um importante acordo com a Aloo Telecom, que ampliou sua rede com produtos da companhia. A provedora implantou o Infinera Cloud Express e Infinera DTN-X para atender sua demanda de largura de banda em suas redes de interconexão e de longa distância.