O número de assinantes de planos de banda larga fixa caiu 0,46% em março, conforme dados publicados nesta semana pela Anatel. Havia no país, ao final do mês, 32,99 milhões de acessos ativados pelas operadoras e provedores regionais. A retração significa que houve o desligamento de 151,84 mil desses acessos. Em relação a março de 2019, o segmento cresceu 3,72%, adicionando 1,18 milhão de usuários.

A tecnologia que mais cresceu no período foi a de fibra óptica, com adição de 253,95 mil acessos. Também houve crescimento dos acessos por satélite e por cabo coaxial. Os demais tipos de acesso encolheram – especialmente o uso do rádio e dos cabos metálicos (aDSL), como se vê na tabela abaixo.

Tecnologia 02-2020 03-2020 Saldo Variação no mês
Cabo Coaxial 9.626.883 9.639.318 12.435 0,13%
Cabos Metálicos 9.733.906 9.443.907 -289.999 -2,98%
Fibra Óptica 11.075.746 11.329.702 253.956 2,29%
LTE 233.180 229.835 -3.345 -1,43%
Rádio 2.205.840 2.078.937 -126.903 -5,75%
Satélite 275.148 277.157 2.009 0,73%
Total Geral 33.150.703 32.998.856 -151.847 -0,46%

EMPRESAS

Dentre as empresas, a Claro foi a que mais adicionou clientes no mês, terminando março com 9,68 milhões de contratos. A TIM foi outra que teve saldo positivo, em adições, fechando o período com 601,93 mil acessos. Todos os demais grupos econômicos encolheram.

PUBLICIDADE  

Quem parece mais ter sofrido no mês em que a pandemia de Covid-19 atingiu em cheio o Brasil, levando estados e municípios a decretarem políticas de isolamento social, foram os ISPs, reunidos pela Anatel na categoria de Prestadoras de Pequeno Porte. É certo que o segmento padece de subnotificação, o que poderia explicar a retração. Ainda assim, houve, em relação a fevereiro, diminuição de 1% na base desses provedores regionais.

Operadora 02-2020 03-2020 Saldo Variação
CLARO 9.636.912 9.680.615 43.703 0,45%
TIM 595.554 601.938 6.384 1,07%
SKY/AT&T 231.289 227.811 -3.478 -1,50%
OI 5.087.077 5.048.377 -38.700 -0,76%
VIVO 6.903.561 6.857.135 -46.426 -0,67%
PPPs 10.696.310 10.582.980 -113.330 -1,06%

Apesar dessa diminuição, os pequenos, em conjunto, seguem como o maior grupo econômico em quantidade de acessos de banda larga do país. Os ISPs registram 30,9% dos acessos. Em seguida vem a Claro, com 29,3% de participação. Depois, a Vivo, com 20,8%; a Oi, com 15,3%; a Algar, com 1,9%; e a TIM, com 1,8%.