Designed by FreepikA demanda por redes ópticas de alta capacidade estimula o crescimento do mercado de fornecedores de tecnologia Gigabit Passive Optical Network (GPON), que permite a transmissão e o recebimento de dados por meio de uma única fibra. Dois novos players entraram nesse segmento, de interesse estratégico para os provedores de acesso à internet.

A Digistar, veterana no atendimento a operadoras de telecom, volta o foco para os ISPs. Responsável pela primeira rede GPON da Algar Telecom, entre outras grandes, a empresa vem investindo, desde 2012, no desenvolvimento da linha de produtos que foi lançada em 2016. “Nós já conhecíamos as demandas dos provedores regionais e, com o aumento do uso de fibra FTT, essa se tornou uma fatia de mercado considerável. Era uma boa oportunidade para diversificarmos, com a convicção de que poderíamos colocar no mercado produtos diferenciados”, diz José Roberto Flesch, diretor de negócios da Digistar.

Flesch conta que a empresa já fornecia tecnologia GPON importada dos Estados Unidos. No entanto, enfrentava dificuldades em relação ao alto custo. Assim surgiu a estratégia de investir no desenvolvimento próprio. A opção foi por adotar o padrão aberto, em que os equipamentos são compatíveis com equipamentos de outros fornecedores de padrão aberto. “Ter uma ONU que conversa com um conversor de outra marca, ou vice-versa, já é um grande diferencial”, garante Flesch.

No âmbito técnico, de acordo com o diretor, a linha GPON da Digistar apresenta alguns diferenciais, como a facilidade de configuração: “Ter equipamentos de operação amigável é muito importante para os ISPs que não dispõem de estrutura altamente capacitada”, alerta Flesch, “embora a Digistar ofereça ainda treinamento de capacitação, sem custos, por webinar”. Outro destaque é o sistema de gerenciamento DS StarView, oferecido gratuitamente, para o controle de até cinco concentradores. Além do serviço de suporte: direto do fabricante e em português.

Atenta à necessidade de escalabilidade das redes, a Digistar incluiu em sua linha o sistema Dolt 1288, com oito interfaces GPON, duas portas de 10 Gigabit Ethernet e 8 portas de 1 Gigabit Ethernet, o que permite 28 Gbps de uplink. “Para garantir oinvestimento do ISP, a Digistar opera com padrão aberto do GPON. A OLT aceita ONU Bridge de terceiros”, afirma Flesch.

Outra fornecedora que começou a ofertar tecnologia GPON no ano passado foi a Intelbras. A empresa lançou uma linha de seis produtos, já comercializados para mais de cem clientes, de acordo com Diego Zaniol, gerente do Segmento Rede Com Fio. “Nós somos muito fortes no mercado de radio. Por isso, já tínhamos entrada no segmento de provedores de acesso à internet”, conta Zaniol.

Os equipamentos, de origem norte-americana, foram customizados para o mercado brasileiro. Apresentam compatibilidade com outras marcas, sendo 100% compatível com o fabricante Zhone. E dispõem de sistema de gerenciamento. Entre os pontos fortes, Zaniol destaca o suporte local, em português, que garante uma resposta rápida ao cliente. Também aponta que os produtos vêm com garantias que vão até dois anos, – caso da OLT, equipamento localizado no centro de toda a rede, de onde saem as conexões via fibra óptica, com o sinal GPON, em direção às casas dos assinantes.

A empresa considera esse nicho de mercado uma grande oportunidade. “Esperamos que, em cinco anos, corresponda a mais da metade da unidade de redes”, avalia Zaniol.