A operadora Angola Cables e a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) acabam de assinar um memorando de entendimentos que estabelece as diretrizes para a integração das redes acadêmicas avançadas do Brasil e de Angola, aprimorando, ainda, a interconexão dessas redes com os demais fluxos globais de comunicação.

“Esse documento sinaliza que os dois países têm visões de futuro em comum, sobretudo de aprimorar a conectividade e abrir mais possibilidades de colaboração para alunos, professores e pesquisadores. Assim, a academia ampliaria, ainda mais, sua capacidade de interagir com seus pares em outros pontos do globo”, diz o diretor-geral da RNP, Nelson Simões. “A principal linha é construir inovadoras soluções em conectividade entre o Brasil e a África, contribuindo, assim, para o desenvolvimento das comunicações em todos os âmbitos, mas principalmente nos campos da pesquisa, ciências e educação”, garante António Nunes, CEO da Angola Cables.

O documento estabelece ainda as diretrizes para a futura celebração de um acordo de cooperação técnica para o desenvolvimento e a operação de redes avançadas de telecomunicações dedicadas ao uso em ensino e pesquisa, nos dois países. “Para isso, os três empreendimentos da Angola Cables no Brasil – Monet (em operação), SACS e o Data Center (em fase de construção e com início das operações previstas para o primeiro semestre de 2018) serão usados em toda a sua potencialidade”, completa Nunes. (Com assessoria de imprensa)