Do Tele.Síntese

As operadoras de telecomunicações se preparam para enterrar 52 km de fiação aérea. O acordo foi fechado pela prefeitura e pela Eletropaulo, em março. Ao todo, 117 ruas terão os postes retirados até julho de 2018.

João Moura, presidente da Telcomp, explica que a decisão dá continuidade a procedimentos de enterramento que já vinham acontecendo na cidade. Segundo ele, as empresas aguardavam desde o começo do ano decisão da prefeitura sobre quais ruas seriam beneficiadas.

Apenas as operadoras de telecomunicações terão que fazer investimentos para o enterramento. A prefeitura não terá de pagar por nenhuma obra, enquanto a AES Eletropaulo, dona dos postes, já concluiu o enterramento dos fios de transmissão elétrica nas áreas escolhidas. A distribuidora terá de arcar apenas com a remoção de 2.019 postes, o que deve custar R$ 6 milhões.

Já as operadoras ainda calculam quanto terão de investir. Estão elaborando os projetos técnicos para baixar os fios ao subsolo.

Por que a demora?

A prefeitura afirma que a meta é alcançar um ritmo de enterramento de 100 Km por ano nesta gestão, de João Dória (PSDB) – conforme o jornal O Estado de S. Paulo. Para a Telcomp, é difícil estabelecer um ritmo ideal.

Ao Tele.Síntese, Moura explicou que fatores muito distintos, das condições do solo ao tráfego da rua, impactam o tempo de obras do tipo. Ele lembra que as operadoras trabalham com o prazo sugerido, mas não há um contrato formalizando o compromisso.

A gestão passada, de Fernando Haddad (PT), determinou em decreto que as empresas deveriam enterrar 250 Km ao ano. Mas o texto foi contestado na Justiça e hoje está suspenso por liminar. “O que se questiona é essa velocidade. Mas nem a Eletropaulo, nem as operadoras, pararam obras de enterramento”, diz Moura.

O executivo lembra que regiões como a Rua José Paulino já passavam por obras antes do acordo. Reitera, porém, que nunca uma cidade como São Paulo será capaz de deixar o poste totalmente de lado, em função de condições diversas, como a geografia e condições de terreno e urbanização.

As 117 ruas estão localizadas em sete distritos: Consolação, Bela Vista, República, Santa Cecília, Jardim Paulista, Bom Retiro e Brás. Ao todo, serão enterrados 58 mil km de cabos (energia e telecomunicações). Com a medida, prevê-se multiplicar por seis a quantidade de cabos subterrâneos na cidade (atualmente, são 11,4 mil).

As ruas e avenidas escolhidas foram listadas no Diário Oficial da cidade em 11 de março, na portaria nº 16 da Secretaria de Obras do Município. Mas somente agora a prefeitura iniciou a comunicação da empreitada, batizada de Cidade Linda Redes Aéreas.