O crescimento dos provedores regionais de acessos à internet e serviços de telecomunicações, muitos dos quais há muito abandonaram o perfil local para se transformarem em empresas que operam em mais de um estados e são donas de respeitáveis backbones, criou um novo e atraente segmento de mercado para a Padtec, a mais importante empresa da América do Sul de transmissão óptica. Tanto que ela lançou, recentemente, uma plataforma compacta de transporte óptico 2U voltada especificamente para o mercado dos provedores regionais.

Ao falar na abertura do evento Provedores Regionais, realizado hoje, 11, em Campinas (SP), pela Bit Social, Manuel Andrade, presidente da Padtec, destacou o papel empreendedor dos dirigentes dessas empresas na expansão da banda larga, especialmente no interior do país e na contramão que o país vive. Andrade sabe do que está falando. Os provedores regionais integram a categoria outros que, no ano passado, respondeu pela maior fatia do faturamento da Padtec, da ordem de R$ 330 milhões, com Ebtida de R$ 32 milhões e lucro de R$ 3 milhões. Em seguida, vieram as telcos, e depois o cabo submarino, com 10% do total. Seis anos antes, as telcos respondiam por 90% do faturamento.

Não é por outro motivo, que os provedores hoje fazem parte da lista de clientes preferenciais da Padtec, tanto quanto as grandes operadoras. Para fazerem suas compras, recorrem às linhas do BNDES ou usam recursos próprios. E Andrade diz que a empresa nunca teve problemas para receber. Além disso, observa, como são empresas menores, “a tomada de decisão é mais rápida”.

Para quem é médio

A plataforma LightPad i64400G 2U (um U é a unidade de medida de altura de um rack em número de furos) lançada este ano, em maio, na feira da Abrint e apresentada hoje durante o Encontro Provedores Regionais Campinas, não é a primeira voltada a este segmento de mercado, mas é a mais compactada. Uriel Miranda, analista de Marketing de Produto da Padtec, relata que é uma plataforma ideal para o provedor que começa a sofrer a pressão do aumento do tráfego de longa distância e que chega a uma situação onde começa a ficar muito caro lançar uma nova fibra. “Integrar o roteador e a fibra existente a um DWDM pode ser uma alternativa mais econômica e mais flexível”, informa ele.

Além de compacta e, portanto, econômica, a 2U da Padtec agrega uma série de funcionalidades, como a possibilidade de controle automático da taxa do consumo de dados do cliente corporativo por meio de um transponder, por exemplo. Muitos provedores regionais preferem usar a 4U, lançada no ano passado ou mesmo a 14U no core da rede, e a 2U em sites, como em colocation ou no atendimento a clientes corporativos. Mas as plataformas compactas também começam a ser usadas por grandes operadoras no atendimento ao mercado corporativo.