O secretário de  Desenvolvimento, Indústria, Comércio, Serviços e Inovação do Ministério da Economia, Caio Megale, afirmou nesta quarta-feira, 29, em seminário no Ministério da Economia, que uma das prioridades de sua pasta é diminuir a grande diferença de produtividade que existe entre as pequenas e médias empresas e as grandes empresas brasileiras. “No Brasil, o gap entre as pequenas e médias e as grandes, no que se refere à produtividade, é muito maior do que na maioria dos demais países”, afirmou ele.

Segundo o executivo, embora o país tenha passado, nos últimos 10 anos, por um significativo ganho de escolaridade, a produtividade não cresceu na mesma proporção, o que não é comum. ” Os ganhos de anos de escolaridade são muito importantes e  em geral são acompanhados por ganho de produtividades.  Mas no  Brasil,  aconteceu o oposto, a produtividade total dos fatores, na melhor das hipóteses, ficou parada”.

Para Megale, as razões dessa discrepância poderiam ser apontadas para a baixa qualidade da educação, que não acompanhou o crescimento nos anos de escolaridade, burocracias tributárias e trabalhistas e falhas de mercado, que estimulam os monopólios e lobbyes que precisam ser enfrentados.

Entre as políticas para qualificar as pequenas empresas, Megale voltou a citar a meta de qualificar 100 mil pequenas empresas, dando continuidade ao programa “Brasil Mais Produtivo”. Além de ampliar o programa, que já qualificou 3 mil empresas, pretende oferecer também cursos de gerenciamento para os pequenos empresários.