O país fechou janeiro deste ano, segundo dados divulgados pela Anatel, com 31,1 milhões de contratos ativos de banda larga, crescimento de 6,1% em 12 meses (mais 1,8 milhão de assinantes). Os grandes responsáveis pela expansão da base no período foram os provedores regionais de acesso à internet – cerca de 90% dos novos acessos são clientes de suas empresas.

Classificados pelo regulador como Prestadoras de Pequeno Porte (PPP), empresas que detêm menos de 5% de cada mercado de varejo em que atuam, os provedores regionais contavam, em janeiro, com uma base de 7,4 milhões de contratos ativos. Isso significa um crescimento de 28,5% no período, quando conquistaram, em seu conjunto, mais 1,6 milhão de assinantes.

Se mantiverem este ritmo de crescimento no mercado de banda larga, os provedores regionais, que no ano passado superaram o número de assinantes da Oi em SCM, tendem a ultrapassar a Vivo, a segunda classificada no ranking. As três maiores prestadoras da banda larga fixa, que registraram 73,5% de participação de mercado (22,9 milhões de assinantes) em janeiro de 2019, são a Claro com 30,1% (9,4 milhões), a Vivo com 24,3% (7,6 milhões) e a Oi com 19,1% (5,9 milhões). Na comparação com janeiro de 2018, a Claro e a Vivo registraram crescimento de 4,7% (mais 419 mil assinantes) e de 0,15% (mais 11 mil), a Oi teve redução de 5,4% (menos 340 mil).

Se a Anatel não tivesse alterado os critérios, os provedores regionais, classificados na rubrica Outros, teriam respondido por quase 85% do crescimento no ano. Mas com a adoção do novo critérios de pequenas prestadoras, elas englobam, além de Outros (onde estão todos os provedores regionais), a Algar Telecom, BT, Cabo e Copel.

Por região

Na comparação entre janeiro de 2019 e janeiro de 2018, com exceção de Roraima que registrou perda de pouco menos de mil acessos, todos os outros estados tiveram aumento no número de contratos do serviço. Destaque para Ceará, Amazonas, Piauí, Bahia, Alagoas e Pará, todos com crescimento acima de 10% em 12 meses. As tabelas com os números de mercado da banda larga fixa estão no Portal da agência reguladora.

A Agência republicou os números após correção no quantitativo de assinantes erroneamente informado pelo grupo TIM. A TIM havia informado o total de 649 mil contratos em ativos e corrigiu esse valor para 493 mil. (Com Assessoria de Imprensa)