A Eletronet não conseguiu recuperar nesta quarta-feira, 6, o trecho da sua rede que enfrentou duplo rompimento de cabos na região da Grande São Paulo, entre Guarulhos e Ibiúna, deixando a grande maioria de seus clientes com links com São Paulo sem comunicação. A empresa espera conseguir restabelecer a conexão amanhã ao longo do dia, segundo informou hoje, ao final da tarde, o diretor de Operações, Anderson Jacopetti.

As equipes de Furnas, concessionária de energia elétrica que aluga sua infraestrutura para a Eletronet passar o cabo OPGW dentro do qual estão as fibras, trabalharam o dia todo para fazer a sustentação dos cabos OPGW e evitar que caíssem sobre a rede de alta tensão e sobre os trilhos da CPTM.

“Na inspeção dos cabos, os técnicos verificaram que não só as fibras tinha se rompido, mas que os próprios cabos estavam esgarçados, correndo o risco de se romperem”, relata Jacopetti. O segundo alvo dos técnicos foi fazer o reforço das duas torres para que amanhã seja possível fazer o içamento de novos cabos, que vão substituir os danificados.

De acordo com Jacopetti, ainda não é possível saber nem porque as fibras romperam e muito menos a razão de os cabos de aço que envolvem o núcleo terem se deteriorado tanto. “Só depois que forem baixados e forem para o laboratório”, diz ele. De qualquer foram, a solução amanhã será substituir os cabos danificados entre as torres 127 e 128 de Furnas, que distam uma da outra cerca de 400 a 500 metros. Além do lançamento dos novos cabos, vão ser instaladas duas caixas nas torres para conectar os novos cabos à rede.

Rede de terceiros

A busca pela Eletronet de rede de terceiros para atender emergencialmente aos seus clientes não deu resultado. Segundo Jacopetti, foram identificadas três redes metropolitanas com traçado próximo ao da Eletronet e uma deles passava a um ou dois quilômetros de distância, na própria rodovia Bandeirantes.

“Mas não conseguimos avançar porque nenhuma delas tinha fibra até o nosso Ponto de Presença em Osasco ou mesmo em São Paulo”, informa.