O satélite Al Yah 3, da operadora árabe Yahsat, já está na Guiana Francesa, de onde será lançado. A empresa confirmou nesta segunda-feira, 4, que a nave será colocada em órbita em janeiro, após atraso de mais de um ano. A expectativa é que os serviços de banda larga em banda Ka, oferecidos com base no satélite, comecem a ser comercializados já no primeiro trimestre de 2018.

Fabricado pela Orbital ATK, o Al Yah 3 é um satélite com propulsão elétrica híbrida – ou seja, precisa de pouco combustível para realizar manobras no espaço. A tecnologia diminui o peso do artefato, barateando o lançamento, ao mesmo tempo que prolonga sua vida útil. O equipamento ficará na posição 20 graus Oeste e terá 60 feixes de banda Ka.

O investimento previsto pela Yahsat para começar a operar no país é de cerca de US$ 200 milhões desde a chegada ao país, em 2014, com a compra de posição orbital no último leilão do tipo feito pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Além do direito de exploração e do escritório local, o dinheiro prevê uso de dois teleportos, um em Hortolândia, outro Jaguariúna, cidades do interior paulista.

Após o lançamento, a Yahsat venderá serviços de banda larga em uma área de cobertura que atende a 95% da população brasileira, em mais de 5 mil cidades. A operadora pretende vender a capacidade tanto direta, quanto indiretamente ao consumidor, e fornecer serviços de backhaul móvel às operadoras celular. Para a venda de planos de acesso, já fechou acordo com a provedora fluminense Telespazio. Também pretende ter na carteira de grandes clientes a TIM.