Vicente Gomes, CEO da Sumicity

Depois de concluir a expansão de seu backbone até Vitória, no Espírito Santo, a Sumicity, provedor do interior fluminense, decidiu reforçar sua rede FTTH no estado do Rio de Janeiro. Já presente em 21 cidades das regiões dos Lagos e da serra, neste mês de outubro conclui a implantação da rede de fibra óptica em mais sete cidades serranas.

Vicente Gomes, presidente da Sumicity, diz que espera agregar mais 25 mil clientes residenciais à sua base, que hoje soma 85 mil clientes residenciais, todos em fibra, com um ticket médio de R$ 106. O ticket médio de seus 15 mil assinantes de IPTV é de R$ 180. A expansão da rede de FTTH da empresa prossegue no ano que vem em direção a cidades do Norte e do Sul do estado do Rio.

Na expansão da rede nas cidades serranas, a Sumicity está usando equipamentos da Nokia. Nas cidades onde já tinha operação o fornecedor da parte ativa da rede é a Fiber Home. E a empresa vai também incorporar equipamentos da Huawei. “Vamos manter esses três fornecedores”, informou Gomes, que há meses negocia o aporte de investidores em sua empresa, que conta com um backbone de 11 mil quilômetros que cobre o Rio de Janeiro, Zona da Mata mineira e Sul do Espírito Santo.

Hoje, a menor velocidade residencial comercializada pela Sumicity é de 50 mega. Mas a empresa lançou uma campanha na televisão, na afiliada da Globo na região dos Lagos, onde o menor plano é de 100 Mbps. O plano promocional do combo, de banda larga, com WiFi, telefone e VOD, o Crackle (plataforma da Sony), custa R$ 69,90 e R$ 99,90 após o período promocional. Para 200 mega, os valores são de R$ 99,90 e R$ 139,90.

As cidades onde a Sumicty está inaugurando sua rede FTTH são: Petrópolis, Cordeiro, Cantagalo, Duas Barras, Bom Jardim, Cachoeira de Macacu e Macuco. A construção da rede nessas cidades custou R$ 6,8 milhões.