Com os índices de inadimplência começando a preocupar, a Turbonet Petrolina decidiu que era o momento de buscar novas fórmulas para contornar o problema. A decisão foi de transformar sua base de assinantes pós-pago em pré-pagos e oferecer ainda a seus clientes a possibilidade de suspenderem temporariamente o serviço para posterior reativação sem custos adicionais. Para convencer os clientes a aderirem ao novo formato, o bônus foi dobrar a velocidade de acesso dos consumidores, um movimento que só foi possível a novos acordos para compra de links.

Segundo Dirleide da Silva Ferreira, presidente da empresa, os indíces de inadimplência estavam chegando a níveis perigosos, na faixa de 20% a 25%. E isso influenciava o churn da companhia, pois quando o débito se acumulava em dois ou três meses o cliente preferia deixar o provedor, sem pagar a dívida, e se cadastrar em outra operadora. “O problema era a incapacidade de pagar o débito acumulado”, afirmou.

Para ele, a melhor saída era garantir o fluxo de pagamento e ao mesmo tempo dar um válvula de escape para o consumidor que enfrentasse momentos de turbulência financeira. A Turbonet oferece descontos para o pagamento nos dias programados e com apenas um telefonema permite que uma linha seja desativada por determinado período, se for o caso. “Reduzimos a inadimplência drasticamente e garantimos a fidelidade do cliente, mesmo sem contrato específico para isso”, ressaltou.

Com uma base de 2500 assinantes, o provedor decidiu repassar para os clientes os ganhos obtidos em novas contratações de links. “Nós chegamos a pagar cerca de R$ 2200,00 para a Embratel por 2 Megas e hoje conseguimos parcerias que envolvem o pagamento de R$ 230,00 por 1 Mega”, disse o executivo.

A nova parceira da Turbonet na oferta de links é a Wantel, que também oferece acesso à Internet na cidade. Ferreira está otimista quanto ao crescimento de suas operações e projeta crescimento de 50% da sua base de assinantes em um ano.

No mês passado, o provedor concluiu 10 quilômetros de interligação de sites via fibra óptica, inclusive atendendo a área rural. “Petrolina tem lavouras muito fortes na região e o potencial de expansão na agricultura é grande”, avaliou. Atualmente, o provedor trabalha com uma variação de cinco a dez ativações por dia.