Dois contratos fechados pela WatchTV ampliaram o número de cidades que poderão contar com plataformas de Video on Demand (VoD) via ISPs. Em Teresina o serviço está sendo oferecido pela Hii Tech e na região noroeste do Paraná a oferta está a cargo da Qnet Telecom.

Criada em 2007, a Hii Tech tem atuação na zona sul de Teresina e conta com um portfólio de serviços que inclui navegação e entretenimento por meio das plataformas digitais. “Estamos sempre atentos para novidades que nos permitam oferecer uma experiência única aos nossos clientes”, comentou Washington Lacerda de Souza, sócio diretor

Os clientes do provedor com plano de velocidade de download igual ou superior a 120 Mb, cujo valor inicial é de R$ 130,00, terão cortesia de 12 meses para acesso ao acervo de video on demand fornecido pela WatchTV.

“Iniciamos a parceria com a WatchTV no primeiro dia do mês de dezembro e, desde então, temos sentido o crescente interesse pelo serviço, tanto por parte de novos usuários quanto dos antigos que desejam ampliar o plano para ter acesso à cortesia”, comentou Sousa. A expectativa dos diretores da Hii Tech é de que até maio de 2019 a lista de clientes com acesso à WatchTV cresça entre 30% e 40%. “Por conta dessa novidade, aumentamos nosso investimento em roteadores mais potentes”, ressaltou.

Com crescimento anual de 20% nos últimos cinco anos, a Qnet Telecom oferece serviços de Internet de ultravelocidade, telefonia fixa digital e televisão. Ao todo, são mais de 20 mil assinantes da região noroeste do Paraná, que, além de Umuarama, inclui as cidades de Cruzeiro do Oeste, Maria Helena, Moreira Sales, Nova Olímpia, Perobal, Pérola, Tapejara e Xambrê.

A parceria com a WatchTV foi fechada em agosto, mas a oferta comercial para os clientes só teve início em dezembro depois de um período de testes . Todos os pacotes da Qnet Telecom que incluem televisão ou Internet têm o serviço da VoD como cortesia. O investimento pelo serviço de televisão varia de R$ 9,90 (modalidade com quatro canais internacionais) a R$ 129,90 (com 93 canais). Com relação à Internet, os planos vão de R$ 79,90 a R$ 169,90, variando de acordo com os benefícios: internet fibra óptica ou via rádio e velocidades de download de 5Mb a 100Mb. O cliente tem ainda a oportunidade de adquirir apenas o acesso à plataforma de vídeo sob demanda, por R$ 29,90 mensais.

“ Já tínhamos um amplo portfólio de conteúdo e na parceria com a WatchTV conseguimos ampliar nossa diversidade para adultos e crianças”, observou Valcir Simão, diretor comercial da Qnet Telecom. Segundo o executivo, a procura dos clientes tem aumentado bastante e o catálogo do fornecedor também tem crescido. “Inclusive com oferta de títulos nacionais, o que costuma ser uma raridade nesse tipo de serviço”, observou.

Expansão

A WatchTV tem como proposta viabilizar o triple play para os ISPs e para isso trabalha com tecnologia Kaltura e Akamai e análise de dados (Big Data e Business Analytics) para prover conteúdo aos assinantes ao mesmo tempo que opera também um marketplace e agrega conteúdo de outros aplicativos (Noggin e ESPN Watch). A empresa conta atualmente com cerca de 40 mil assinantes ativos e 17 ISPs como clientes. A expectativa é de encerrar seu primeiro ano de atuação no Brasil com cerca de 100 mil assinantes ativos.

“Nosso objetivo é trabalhar com todos os ISPs do Brasil, um total de 9 mil (dados Anatel), que juntos possuem mais de 24 milhões de assinantes”, disse Maurício de Almeira, sócio fundador da WatchTV e ex-sócio do provedor Nova Telecom. Os títulos oferecidos no lançamento são da Sony Pictures, Paramount, BBC, Noggin (Nick Jr.) e ESPN e totalizam mais de 500 episódios de séries, 750 filmes, 200 títulos de estúdios independentes, 1.000 títulos infantis, 150 lançamentos para locação e atualização de 50 novos títulos por mês.

Toda a infraestrutura da WatchTV é fornecida a custo zero aos ISPs. De acordo com a empresa, a integração com o sistema de ERP do ISP facilita a venda e a gestão do negócio. O executivo conta ainda que para aprimorar a experiência do cliente todo o conteúdo fica hospedado no Content Delivery Network (CDN) da Akamai, um servidor que vários provedores já possuem