Depois do modelo de aluguel (opex) de soluções de redes de fibra óptica para provedores regionais, a WDC Networks lança a instalação de datacenter nos mesmos moldes, por meio de pagamento mensal, que cabe no bolso dos ISPs. Mas não vai parar por aí, a distribuidora de tecnologia já monta um pacote para  preparar os provedores regionais como fornecedores de serviços de automação de residências, com soluções de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) para 2020.

Segundo o diretor da WDC, Junior Carrara, a parceria entre a empresa e os provedores regionais tem se mostrado vantajosa para as duas partes. As redes com soluções GPON/POL, roteadores IP e DWDM foram ofertadas quando os ISPs ainda estavam se regularizando e não tinham acesso a crédito. O aluguel, no prazo de até 60 meses, só começava a ser cobrado quando a prestadora começava a receber do seu assinante. No final do prazo, a infraestrutura é passada ao contratante.

Renda extra

No caso dos datacenters, a expectativa tem se confirmado. A WDC já tem sete projetos em andamento e espera ampliar as vendas nos próximos dias. Isso porque, alguns pequenos prestadores têm recebido servidores de produtores de conteúdo, que querem levar seus vídeos para perto dos assinantes. Outros veem a oportunidade de prestar o serviço de guarda de dados na cidade onde atua.

O projeto do datacenter prevê equipamentos de alta qualidade, redundância de ar condicionado e energia e pode ter até 20 racks. “A infraestrutura é de altíssima qualidade, nos moldes das adotadas pelas grandes operadoras”, sustenta Carrara.

Para chegar ao projeto, a WDC negociou redução de preços dos equipamentos com os fabricantes e um modelo completo pode custar até R$ 1 milhão. Porém, o portfólio prevê adequação da infraestrutura e o aluguel acaba sendo viável para as empresas de pequeno porte.

IoT

Já o pacote de automação residencial, a previsão é de que seja lançado só no próximo ano. A ideia é tornar os provedores regionais em franqueados do serviço, atendendo as necessidades dos moradores das cidades onde atuam. “Antes esses serviços eram muito caros, mas hoje, uma automação básica sai por R$ 3 mil e o usuário pode controlar à distância a iluminação, o ar condicionado, alarme e a fechadura eletrônica, por exemplo”, disse Carrara.

O projeto Casa Conectada, de solução tecnológica residencial, pode ser vendido pelos ISPs por meio de representação ou como um ponto de venda avançado. Nesse último caso, o provedor regional necessitará de montar um show room e manter um mini estoque para alcançar um atendimento de qualidade.

Datacenter contou com soluções fornecidas pela WDC Networks