Por Rosana Cristóvão de Melo

Sem uma boa gestão, em um curto espaço de tempo um pequeno problema pode se transformar em um enorme problema, e ir aumentando à medida em que a empresa cresce. Já uma boa gestão afeta positivamente a eficiência do negócio, ou seja, uma boa gestão fará sua empresa mais lucrativa sem que você precise investir muito, aponta o caminho para investimentos quando estes forem exigidos, facilita a integração entre os setores da empresa, deixando clara a visão geral do negócio, facilitando a tomada de decisão e a escolha de qual caminho seguir.

Fazer uma gestão adequada não significa criar maneiras para vender mais, mas sim para gastar menos e conseguir melhores resultados com os mesmos recursos.

A gestão estratégica, além de ser uma ferramenta de competitividade, pode proporcionar muitos ganhos às empresas de pequeno porte, como:
•    Aumento da produtividade: em um ambiente altamente competitivo, precisamos fazer mais com menos recursos.
•    Time to market, velocidade para o mercado: aproveitar o novo mercado, ser rápido em conceber um produto e disponibilizá-lo para venda.
•    Atingir e manter a conformidade: manter a empresa alinhada e em conformidade com os regulamentos e padrões mundiais estabelecidos é uma prática cara e demorada. Quando se usa uma gestão estratégica, o bom planejamento pode reduzir os custos e mantê-los sob controle.
•    Acelerar a inovação: a gestão estratégica pode criar um ambiente favorável, onde a inovação não dependa de um incentivo, mas sim que seja uma prática comum e diária.

No segmento de tecnologia, percebemos que as micro e pequenas empresas representam a maioria, necessitando de atenção especial no processo de profissionalização e gestão para o crescimento, necessitando criar cada vez mais valor agregado para os produtos.

Uma estratégia que vem sendo adotada e tem se mostrado bastante eficiente para as empresas de tecnologia é trabalhar de forma transversal, de modo a agregar valor às soluções tecnológicas e incrementar os negócios da sua clientela. Mas, mesmo buscando inovações, competir no mercado internacional é outro desafio para o segmento e representa um risco muito grande.

A empresa de tecnologia precisa concorrer com produtos e serviços totalmente inovadores e muito competitivos. Precisa alinhar a estratégia de preço com as expectativas dos clientes e conviver com a falta de mão de obra.

Mesmo diante de tantos desafios, o mercado das empresas de tecnologia vem crescendo. As novas tecnologias proporcionam um melhor gerenciamento das informações. O desafio torna-se, então, ultrapassar a cultura que a empresa tem, e aderir a novos modelos de gestão, integrando práticas e ferramentas tecnológicas.

Vivemos hoje em um mundo altamente globalizado e a globalização faz com que as empresas tenham que alinhar-se às novas situações, usando suas habilidades e sendo bastante ágeis.  Dessa forma, será fácil notar o quão efetiva é uma gestão quando unida a recursos tecnológicos.

 


Rosana Cristóvão de Melo é coordenadora de Economia Digital – Projetos de Software e Games do Sebrae Nacional