A Cemig Telecom, subsidiária da estatal mineira de energia elétrica, ampliou em 100 Gbps a capacidade de sua rota entre Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais, e Cotia, na Grande São Paulo, onde se localiza o data center na Level 3. “Não tínhamos mais o que vender”, comenta Fábio Abreu, diretor comercial e de operações da operadora, que já conta com 180 provedores regionais de internet como clientes.

O aumento de tráfego na rota é explicado pelo fato de mais de 90% do tráfego internet do Brasil estar concentrado no PTT (Ponto de Troca de Tráfego) de São Paulo. “O produto que mais vendemos é transporte para o PTT de São Paulo”, explica Abreu. A Cemig Telecom já contava com 80 Gbps entre Pouso Alegre e São Paulo – 40 Gbps em swap de capacidade com a Level3 e outros 40 Gbps com a Eletronet. Essa rota se interliga a outra que chega a Belo Horizonte.

Para ampliar a capacidade em mais 100 Gbps, a operadora o swap de fibra com a Level3, iluminando o trecho com equipamentos DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) próprios, adquiridos da Padtec. Segundo Argemiro Sousa, diretor de negócios da fabricante, os sistemas DWDM fornecidos são de última geração com tecnologia ROADMs (Reconfigurable Optical Add-Drop Multiplexer) – que adiciona mais flexibilidade no direcionamento do tráfego da rede óptica –, garantindo alto desempenho ao crescente consumo de dados.

Investimento
Para expandir sua infraestrutura de rede, a CemigTelecom está investindo este ano cerca de R$ 40 milhões. Além do aumento da capacidade do trecho Pouso Alegre-Cotia, os outros dois projetos de porte são a conexão com Duque de Caxias, na Baixada Fluminense – os cabos ópticos correm na tubulação da ReDuque, da Petrobras – e a iluminação da rota Uberlância-Belo Horizonte, no leito da BR 662.

No triênio 2016/18, investimentos da Cemig Telecom, num total de R$ 140 milhões, estão direcionados à rotas de redundância na longa distância, quatro novos centros de serviço e mais saída para a internet para melhorar experiência dos usuários em jogos on line.