Por Vanderlei Rigatieri Jr.

Eles são acostumados a colocar a “mão na massa”, são empreendedores por instinto e por garra, aprendem tudo “na marra”. Donos de provedores regionais de internet exercem, no dia a dia, funções extremamente técnicas. Operacionalmente falando, a grande maioria ainda sobe em postes para passar cabos de redes ou resolver problemas quando a internet cai.

Parte de um universo de micros e pequenas empresas que têm conquistado uma posição de destaque no mundo da grande rede, no ano passado eles foram os maiores responsáveis pelo crescimento dos acessos à banda larga fixa no Brasil. Dos 1.091.769 de novos acessos em 2016, 385.025 vieram de provedores regionais – o que representa 35% do total de novos acessos à banda larga fixa no mercado.

Além disso, dos quase 5 mil provedores cadastrados, mais de 30% estão investindo na construção de redes de fibra óptica, para levar internet de alta velocidade às residências dos seus assinantes com a tecnologia Fiber To The Home (FTTH).

Esse crescimento vem transformando tais profissionais em gestores do seu próprio negócio. Hoje, muitos estão à frente de empresas que faturam milhões de reais e geram centenas de empregos em cidades do interior do país. E é justamente por conta disso que estão enfrentando um novo desafio: como delegar e administrar todas as novas demandas?

É nessa hora que a necessidade da profissionalização vem à tona, não no aspecto técnico, pois esse conhecimento eles já têm em seu DNA. É preciso ressaltar que a partir de agora eles precisarão aprender a gerir seu próprio negócio, aprender a delegar e também a administrar.

Passei por isso pessoalmente, e posso dizer que não é fácil executar essa transformação. O sentimento de quem cria uma empresa pequena, que vai crescendo, é parecido com o que sentimos com a evolução dos nossos filhos, que ao crescer precisam da nossa licença para se desenvolver.

Muitas vezes, sabemos que determinada tarefa, se executada por nós mesmos, sairia mais rápido e melhor. Mas delegar e formar uma equipe dentro da empresa é fundamental para continuar a crescer. O ato de delegar não implica a perda de controle da empresa e sim a profissionalização de sua gestão. Ao fazer isso, esses “novos gestores” descobrirão os inúmeros benefícios de adotar essa postura. Um dos quais, sem dúvida, é ter mais tempo para focar em outras atividades. Pessoalmente, tenho usado um truque, quando não sei se devo ou não delegar: essa tarefa só eu posso fazer ou tenho alguém dentro da empresa que também pode? Se tenho alguém, então eu vou delegar.

É fundamental que isso não gere sentimento culpa no empresário, e que ele não pense que está ficando preguiçoso. Esse ganho de tempo deve ser usado para que ele invista em sua própria profissionalização como administrador. Afinal, nessa tarefa, apenas o empresário pode decidir as estratégias e o futuro de sua empresa. Isso ninguém pode fazer por ele.

Ao ter mais tempo para gerenciar seus negócios, os ISPs verão que nenhuma empresa sobrevive sem pensar e sem planejar o seu futuro. Ao chegar a essa conclusão, eles precisarão ter em mente que, para enfrentar esses novos desafios e colocar tudo isso em prática, uma gestão profissional é fundamental. A dor dessa transformação é grande, mas não há como fugir. Depois que acontece, nada será como antes. Mãos à obra empreendedor, ser empresário é seu próximo desafio!

Vanderlei Rigatieri Jr. é presidente da distribuidora WDC Networks