A mineira Plug Telecom está constituindo um diferencial de mercado a partir de uma carteira de parceiros para prover conteúdo a seus clientes. No final de 2016, o provedor – que oferece banda larga e não tem operação de TV – fez negócio com a ESPN Brasil para levar aos assinantes a plataforma Watch ESPN, com três canais esportivos mais um cardápio de vídeos on demand. “Qualquer cliente de fibra óptica tem direito a esse serviço gratuitamente”, diz Breno  Vale, diretor da empresa.

O executivo conta que essa aproximação com fornecedores de conteúdos é estratégica para a empresa, que vai continuar prospectando novos parceiros: “No ano passado, também fizemos uma proposta à Netflix. Nossa ideia era oferecer ao assinante um voucher para experimentar o canal em nossa banda larga. Eles não tiveram interesse. Mas depois de três meses fecharam um acordo similar com a TIM, na Itália. O que mostra que o modelo é viável”, conta Vale.

Para além dos grandes medalhões do segmento, a Plug Telecom enxerga também os players locais. No início deste ano, lançou uma iniciativa de estímulo à produção de conteúdos entre seus assinantes. “Alô você, produtor de conteúdo de cidades do interior! Que tal fazer da Plug sua parceira para divulgar o seu conteúdo na internet?”, diz o convite nas redes sociais. O processo é simples, explica a campanha: “É muito fácil! Pega o link do seu canal ou página (pode ser de jogos, culinária, vlogs, viagens, cultura, qualquer coisa vale!) e mande pra gente por inbox. De tempos em tempos, vamos publicando as coisas mais legais que formos vendo por aí!”. E as coisas legais já começam a aparecer. Estão disponíveis, no sistema da Plug, vídeos de jogos, conteúdos de beleza, entre outros.