Soluções isoladas não formam uma cidade inteligente, que depende especialmente de uma integração de dados eficiente para ser bem sucedida. Um exemplo disso vem da Prefeitura de Santo André que economizou R$ 8 milhões em 2019 apenas com a gestão das licenças de dados da Oracle espalhadas por diversas secretarias do município. “Isso só foi possível a partir do decreto número 17.049, instituindo a criação do Núcleo de Informação Tecnológica, que permitiu concentrar as ações estratégica de tecnologia e inovação do município”, explicou Pedro Henrique Ruiz Seno, secretário de Planejamento de Assuntos Estratégicos do órgão.

Com uma rede de fibra óptica de 300 quilômetros que cobre 98% do município ligando 220 prédios e locais públicos, a Prefeitura de Santo André, apesar da crise, tem mantido os investimentos de R$ 15 milhões ano em tecnologia da informação para ampliar seu portfólio de soluções para cidades inteligentes.

Um dos recentes lançamentos foi a moderna central de monitoramento, Centro de Operações Integradas (COI), que reúne em uma mesma plataforma, informações da Guarda Civil Municipal (GCM), Departamentos de Engenharia de Tráfego (DET), Defesa Civil, Polícia Militar, SATrans e Samu.

“Hoje temos uma rede de mais de 350 câmeras e 32 monitores espalhadas por vários pontos do município que funciona de forma integrada, gerando mais eficiência ao poder público. Isso sem falar na economia de R$ 60 mil por mês com aluguel de prédios”, disse Seno. Segundo ele, a previsão para 2020 será de 3 mil câmeras monitorando todos os prédios públicos da cidade. O COI foi inspirado no Centro de Segurança Integrada (CSI) desenvolvido pela Prefeitura de Guararema, no interior de São Paulo, cujos 27 mil habitantes contam com 90% de cobertura.

Em função das dívidas acumuladas na gestão passada, a Prefeitura de Santo André estava impedida de assinar linhas de financiamento. “Nossa avaliação de risco de E passou para BB. Além do financiamento de R$ 60 milhões concedido pela Caixa Econômica Federal, usados na pavimentação e reforma de equipamentos, estamos pleiteando junto ao Banco do Brasil mais R$ 20 milhões para o programa de eficiência municipal”, observou.

Para 2020, a Prefeitura espera ampliar em 60% a cobertura da região com sistema de iluminação em LED, no âmbito do programa Banho de Luz. “Até abril do próximo ano, serão 8.145 luminárias em LED na cidade. As lâmpadas têm eficiência energética 30% superior e garantem economia de 47% em comparação às convencionais”, explicou.

O case foi apresentado na 21ª edição do Wireless Mundi realizada pela Momento Editorial com o patrocínio do BNDES e da Furukawa e apoio da Claro, TIM, Prefeitura de Guarulhos e Abrap.