A chuva forte que castigou o Rio de Janeiro na quarta-feira, 6, provocando mortes, desabamentos e inundações, derrubou a rede de banda larga da NET Rocinha, tradicional provedor da comunidade, uma das regiões durante castigada. A sede do provedor, fundado por Samuel Pereira, em 2006, foi alagada. “Tivemos que abandonar tudo as 11 da noite”, conta Samuel, que só as 3 horas da tarde desta quinta-feira, 7, conseguiu restabelecer a operação do backbone. “Mas as fibras que conectam a Net Rocinha ao backbone ainda estão com vários pontos de rompimento devido à queda de árvores, postes e desabamento de muros”, relata ele.

A chuva forte, que durou cerca de duas horas e meia, foi derrubando muros, árvores e provocando desabamentos, com a água invadindo o que encontrava pela frente. A sede da Net Rocinha, no número 463 da Estrada da Gávea, como inúmeras casas e estabelecimentos comerciais da área não foi poupada. O data center foi invadido e a equipe fez o que podia para salvar os equipamentos. “O prejuízo foi grande”, disse Samuel, que ainda não tinha a dimensão exata do que aconteceu com sua rede de acesso dentro da Rocinha onde estão os seus 2 mil clientes. Fora de lá só tem outros cem. “Tem muitas árvore caída, muito muro desabado. Na frente da nossa sede mesmo, um muro desabou. Ainda não dá pra saber a situação real da rede de acesso.”

Muito querido entre os provedores, Samuel conta que tem recebido telefonemas de várias partes do país de colegas querendo notícias e saber se sua equipe estava bem. As fotos mostram como ficou a rede depois da chuva torrencial.