Com uma base de 9 milhões de homes passed com FTTH e previsão para chegar em 2020 com 15 milhões, a Telefônica Vivo vai continuar expandindo sua rede. Mas Christian Gebara, COO que vai assumir a presidência em 1º de janeiro em substituição a Eduardo Navarro, que volta para a Espanha, admite que pode avaliar oportunidades de compra de provedores com outros investidores.

“Isso poderia ajudar acelerar nosso ritmo de implantação de FTTH, se entrarmos com outros investidores. Mas vai depender da oportunidade, do tipo de rede e do tipo de negócio”, comentou ele, durante almoço com jornalistas hoje, dia 17, em São Paulo.

Gebara lembrou que dos R$ 26 bilhões de investimentos previstos para o triênio 2018-2020, R$ 2 bilhões foram inteiramente alocados para as redes FTTH. “Estamos aumentando o ritmo de instalação. Este ano foram 2 milhões de homes passed e vamos fazer mais 6 milhões nos próximos dois anos.”

Com vários acordos de swapp de rede com provedores regionais de acesso à internet, da mesma forma que tem com operadoras com as quais compartilha rede, a operadora iniciou, este ano, um novo tipo de aproximação com provedores regionais. Há seis meses firmou um acordo com a Brisanet, provedor do Nordeste, que está comercializando seus chips com marca própria.