Eletronet ainda aguarda autorização para trocar cabos danificados


Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/
Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/
Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/
Foto de Pok Rie, via Pexels https://www.pexels.com/photo/cable-clouds-conductor-current-189524/

Em nota oficial, a Eletronet informou que as equipes técnicas de Furnas aguardavam, até o início da tarde de hoje, 7, a autorização da Organização Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para desligar a rede de alta tensão, para que pudessem içar os novos cabos OPGW que vão substituir os cabos danificados no trecho entre as torres 127 e 128 da rede Furnas, na Grande São Paulo, entre Guarulho e Ibiuna.

Com o rompimento das fibras, na tarde de terça-feira, os clientes da Eletronet que têm links que terminam ou passam por São Paulo ficaram sem conexão.

A íntegra da nota da empresa:

PUBLICIDADE  

“A Eletronet informa que o processo de recuperação do cabo OPGW, que apresentou dupla falha na noite de 5/12, em São Paulo, continuará hoje ao longo do dia, uma vez que as equipes técnicas Eletronet e Furnas já estão 100% mobilizadas e a postos no local, aguardando apenas a autorização do ONS para o desligamento das linhas de alta tensão. Após essa liberação, será iniciada a reparação do dano.

A operação prevê a inserção de duas caixas de emenda entre as torres 127 e 128 para a completa substituição dos cabos ópticos.

A Eletronet reforça seu compromisso com a qualidade dos serviços prestados a todos os seus clientes e continuará informando sobre a retomada dos mesmos.”

Previous Rede da Eletronet só será recuperada quinta-feira
Next Vogel Telecom inaugura nova rota na região Sul

1 Comment

  1. Avatar
    Edernivan Silva Oliveira
    7 de dezembro de 2017
    Responder

    Conheço sobre OPGW, pois trabalhem em um projeto onde começamos em Tijuco Preto ( Mogi das Cruzes)e paramos em Ortigueira no Paraná.
    Pouco provável que haja um SLA menor que, mais ou menos de 5 a 10 dias, pois estamos falando de uma rede que tem peculiaridades como locais de difícil acessos, estruturas complexas que depende da operadora de linhas de transmissão para qualquer reparo, fora deslocamento de equipes e logísticas de materiais.
    Estamos falando só dos processos de estudos e pessoas e setores envolvidos, agora vamos chegar na parte de execução que também levará algum tempo para conseguir fazer todos os reparos, e logo depois testes para verificar se ficou algum dano.
    Não acredito que alguém com conhecimentos possa prometer um reparo dessa magnitude em 2 ou 3 dias.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *