É grande a movimentação da Enel, concessionária de energia italiana, para ampliar sua participação no mercado de acesso via fibra óptica. No total, a empresa deverá investir R$ 2,3 bilhões para fechar a aquisição da Ufinet International, principal operador atacadista de redes de fibra óptica que está presente em 14 países latino-americanos com mais de 49 mil quilômetros de fibras, dos quais 17 mil em regiões metropolitanas.

No Brasil, a Enel se tornou a maior distribuidora de energia do paí%s ao adquirir 73% da Eletropaulo em uma oferta pública de compra de ações que atingiu R$ 5,5 bilhões. Esta semana, recebeu o aval da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) para essa transação, na qual se compromete a realizar um aumento de capital da ordem de R$ 1,5 bilhão. Ao contrário dos demais países da região, o mercado brasileiro é um dos poucos que a companhia ainda não está presente na área de provedor de acesso via fibra óptica.

De acordo com a concessionária, sua proposta é de expandir seu negócio de banda larga ultra rápida na região, motivo pelo qual se comprometeu a pagar US$ 2,3 bilhões pela Ufinet International. A aquisição será feita pela sua unidade Enel X e inicialmente envolve a compra de 21% por US$ 175 milhões. O acordo prevê ainda a opção de compra do capital restante por R$ 2,1 bilhões que poderá ser exercida em 2021.

PUBLICIDADE  

A Ufinet, atualmente, é controlada pelo Sixth Cinven Fund, que é administrado pela empresa internacional de private equity Cinven. Ela tem uma carteira de contratos de longo prazo de cerca de 700 milhões de euros com grandes clientes industriais, incluindo grupos multinacionais de telecomunicações. Em 2017, gerou receitas de cerca de 159 milhões de euros.  Além dos serviços de fibra ótica, ainda fornece serviços TIC de valor agregado, como serviços em nuvem, por meio de sua subsidiária IFX.

“Nosso momento positivo na América Latina continua com a aquisição da Ufinet International”, disse Francesco Starace, CEO e Gerente Geral da Enel. “Após a conclusão bem-sucedida da reorganização de nossos negócios no Chile no início deste ano e a recente aquisição da Eletropaulo, esse acordo fortalece ainda mais nossa posição como operador de infraestrutura líder na região”, disse  Francesco Starace, CEO e Gerente Geral da Enel.

Segundo o executivo, a Enel X se beneficiará da experiência na Itália através da joint venture Open Fiber para desenvolver serviços de ultra banda larga por atacado em sinergia com as redes de distribuição que operam nos maiores centros metropolitanos da América Latina, onde a demanda por conectividade está crescendo rapidamente.