Julinayde Adorno, diretora da Abrint

Embora representem quase 30% das 607 empresas filiadas à Abrint, entidade que representa os provedores regionais de acesso à internet e serviços de telecom, as mulheres têm uma participação marginal nos debates da entidade. Enquanto em mercados como financeiro, telecomunicações e utilities a participação feminina varia entre 16 a 18%, no de provedores regionais é inferior a 1%.

Com a criação da Câmara Abrint Mulher, o objetivo, segundo Julinayde Adorno, diretora de marketing da Abrint, o objetivo é reverter esse quadro, no qual as mulheres têm papel relevante na gestão das empresas mas estão quase totalmente ausentes da formulação das políticas defendidas pela entidade. Embora se chame Abrint Mulher, a Câmara tem a pretensão de formular propostas que sejam encampadas por todos no que se refere a melhores práticas de gestão, envolvendo gerenciamento de pessoal, gestão compartilhada, modernização da administração e gestão compartilhada.

Para definir como será a Câmara e como vai funcionar, a Abrint contratou a Hexa Brasil Consultoria Empresarial, que, além de levantar a participação das mulheres na Abrint, definiu uma agenda de trabalho que começa pela mobilização das mulheres associadas da Abrint. A proposta envolve o redesenho de processos, definição de projetos e entendimentos das políticas setoriais, acesso a capital e linhas de financiamento, gestão de pessoas em ambiente colaborativo.

Segundo Rosilda Prates, diretora executiva da Hexa Brasil e da P&D Brasil, uma associação de empresa de base tecnológica, a Câmara vai também mobilizar as mulheres no que se refere à capacitação técnica e de gestão. “E fomentar a expansão dos negócios das associadas da entidade”, informou.

A Câmara Abrint Mulher foi lançada hoje, 1º, durante um painel no Abrint 2017, que se realiza em São Paulo.

Melhores práticas

Como exemplo das boas práticas que devem ser perseguidas pelas gestoras de provedores regionais, foi apresentado durante o painel o case de sucesso do Laboratório Sabin, criado em 1984 por duas mulheres e um colaborado e que hoje conta com 4 mil colaboradores, dos quais 77% são mulheres, 229 unidades espalhadas em 22 cidades de 11 estados.

De acordo com Janete Vaz, sócia-fundadora e vice-presidente do Conselho de Administração da empresa, a história de sucesso foi construída a partir de valores éticos, valorização permanente do quadro de funcionários e entrega de valor ao cliente. Apoiada em sua experiência, disse que a presença feminina em cargos de liderança é importante para se obter o equilíbrio com os executivos homens, que a mulher tem atributos importantes como agilidade, organização, sensibilidade. Mas, para Janete, uma empresa de sucesso só é construída de valorizar os sonhos de todos os seus colaboradores, estimular a sua formação constante e ter uma política de reconhecimento.