Cidades mineiras debateram ferramentas que gerem maior eficiência na prestação dos serviços públicos, no II Fórum de Cidades Digitais da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O evento foi realizado no último dia 4, em Contagem, e contou com a presença de gestores e empresários representantes de perto de 20 municípios da região. O encontro foi promovido pela Rede Cidade Digital (RCD) em parceria com a Prefeitura de Contagem.

Além de uma infraestrutura tecnológica, que possibilita a implantação de ferramentas para garantir agilidade nas secretarias, a adoção de serviços inteligentes passa pelas ações focadas no cidadão. Já no estado, de acordo com o subsecretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Minas Gerais, Victor Becho, a estratégia envolve fomentar o ecossistema de inovação, criando ambientes favoráveis para o surgimento de novos negócios. “Diante do atual cenário econômico do Estado, o Governo de Minas Gerais se apoia na tecnologia como uma das alternativas para alavancar a economia. Elaboramos um planejamento macro de Inovação integrada, embasado em tecnologia, inovação e empreendedorismo”, afirmou ele, reforçando a necessidade de preparar os jovens para as profissões do futuro.

A secretária de Planejamento de Contagem, Marilene Chaves, destacou a importância do encontro. “É sempre um momento de se engajar nisso, tendo conhecimento das disponibilidades e sistemas que as empresas oferecem. E o segundo ponto relevante é a motivação. O município que não entrar nessa vai perder talvez até a condição de trabalhar bem e se desenvolver”, afirmou a secretária.

Os especialistas também destacam a importância das cidades digitais e inteligentes para o desenvolvimento das localidades, tendo o cidadão como foco principal para a aplicação de soluções. Em termos de políticas públicas federais, o representante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) no evento, o engenheiro Areno Pires Filho, da Coordenação de Infraestrutura, setor responsável pela análise dos projetos executivos de cidades digitais, disse que a pasta busca mensurar o retorno dos projetos implantados nas localidades.

Dos 262 municípios selecionados, 130 já receberam a infraestrutura em fibra óptica. “Devemos implementar até o final do ano pelo menos 40 cidades”, conta ele, observando que o MCTIC prepara o lançamento de um novo edital para cidades inteligentes. “Nós estamos incentivando muito também a parceria com o setor privado e academia”, completa.

Projeto Inovador

Contagem, Confins, Igarapé, Pedro Leopoldo, Caeté e Bom Jesus do Amparo receberam no Fórum o título de Projeto Inovador, por iniciativas digitais em andamento nas localidades. A gerente corporativa da RCD, Andreia Cibele da Luz, explica que o objetivo é reconhecer propostas que impactam positivamente na gestão pública.

Entre os homenageados está a cidade de Confins pela adoção de lousas digitais nas escolas públicas do município, localizado a 35 minutos de Belo Horizonte. Com 6.500 habitantes, a localidade, que abriga o Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, investe para lançar novos serviços a partir da tecnologia.

Segundo a secretária de Administração, Eliana Viana Pinto Coelho, são várias ações em andamento que vêm resultando em melhorias na prestação dos serviços. Ela destaca a interligação dos prédios públicos via fibra óptica e o uso da rede Voip, que reduziram as contas de internet e telefonia. Outro destaque em Confins é o sistema de videomonitoramento composto por 40 câmeras acopladas nas luminárias LED. “O serviço de TI é a ponta da eficiência do serviço público”, ressaltou Eliana.

O II Fórum de Cidades Digitais da Região Metropolitana de Belo Horizonte teve o patrocínio ouro da Inovadora, GOVBR, 1DOC, Transitabile, Online Soluções e InnovaCity; bronze da PlayTable, além do apoio de mídia do Canal Gerência Pública e do Hotel Ibis Betim.(Com assessoria de imprensa)