A Eletronet, fornecedora de serviços de trânsito IP e circuitos de longa distância, iniciou em abril a modernização de sua rede de transmissão. A empresa vai substituir o sistema DWDM que passa a ser baseado em novos transponders de 100Gbps. O fornecedor será a Ciena.

O projeto previsto para 30 meses está dividido em dez fases e contemplará todas as regiões do país cobertas pela rede Eletronet, que tem 16 mil km de extensão e corta 18 estados. O trabalho começa nas regiões Sudeste e Nordeste (o trecho entre Minas Gerais até o Ceará será o primeiro a ser feito). Depois virá outro, no Sul, abrangendo os três estados da região.

Com a modernização, a Eletronet espera vender novos serviços, como rotas diretas ou expressas. A empresa não revela o valor investido.

Tecnologia 

Serão instalados os equipamentos Ciena 6500 Packet-Optical Platform. Segundo as empresas, a atualização permitirá a virtualização de funções de rede e a gestão de redes definidas por software.

Os transponders usados terão a capacidade inicial de 100Gbps, com possibilidae de upgrade com novos transponders de 250Gbps ou até Super Canais. As capacidades por rota iniciam-se em 8Tbps, podendo alcançar
22 Tbps quando completamente equipado (88 canais x 250G). Atualmente, o trecho com tecnologia legada mais rápido alcança 4 Tbps de velocidade.

“A Eletronet está dando um grande salto tecnológico, saindo de um equipamento de boa qualidade, mas antigo, para modernizar toda a sua rede legada”, reseume Anderson Mendes Jacopetti, diretor de engenharia e operações da Eletronet.

Além da atualização da rede existente, a Eletronet também afima esta investindo na criação de novas rotas OPGW. O objetivo é atender o mercado de ISPs. Ainda no ano, será inaugurado um trecho entre Serra da Mesa (GO) e Camaçari (BA), com 1,3 mil Km de extensão.