Única rede de transporte para os provedores do chamado Baixo Amazonas, há mais de um ano a Eletronorte não disponibiliza banda na região, causando a estagnação do serviço de internet para a população local. Em novembro, a operadora garantiu que iniciaria as vendas do backbone em dezembro, o que não ocorreu. Agora, o novo prazo, de acordo com Bernardo Carvalho, do Departamento de Contratos de Telecom da Eletronorte, é fevereiro.

Os ISPs da região estão mobilizados e até criaram a Associação Paraense de Provedores de Internet e Telecomunicações (Appit), a partir dessa dificuldade. Em dezembro, representantes da Appit se reuniram com Vilmos Grunvald, diretor-presidente da Eletronorte e engenheiros de telecomunicações, além de parlamentares. “As maiores preocupações e discussões foram relacionadas à falta de infraestrutura e de disponibilidade de serviços de dados, problema que vem tirando o sono dos provedores paraenses. Mas também abordamos outros problemas, como os preços praticados pela estatal, além da burocratização na área de negócios do setor de telecomunicações conta Selestino Trevisan, diretor presidente da Appit.

Na reunião, de acordo com Trevisan, ficou definido que a partir de janeiro a Eletronorte iria colocar em prática o novo plano de negócio. Isso também não aconteceu, mas dia 8 de janeiro a operadora deu um passo adiante e abriu chamada pública para  um processo de mapeamento de demanda de circuitos de dados Ethernet. Os interessados em contratar circuitos podem se inscrever até dia 22 de janeiro, pelo site da estatal. “Precisamos conhecer a real demanda para montar uma estratégia de vendas”, diz Carvalho, garantindo que, após o dia 22 de janeiro haverá um procediment6o rápido para que a comercialização se inicie já em fevereiro.