A Huawei lançou uma nova switich , a CloudEngine 16800, que é preparada para a era da inteligência artificial. A empresa define três características de switches de central de dados na era da IA: chip integrado de IA, cartão da linha 400GE de 48 portas por entrada (slot), e a capacidade de evoluir para a rede de acionamento autônoma e incorporar as tecnologias de IA nos switches de centrais de dados.

De acordo com a Visão Global da Indústria (GIV, Global Industry Vision) da Huawei para 2025, a taxa de adoção de IA vai aumentar de 16% em 2015 para 86% em 2025. A capacidade de alavancar a IA para remodelar modelos de negócios, tomar decisões e aprimorar as experiências dos usuários se tornará a principal força propulsora.

De acordo com a empresa, a capacidade computacional da IA é afetada pelo desempenho das redes de centrais de dados, que está se tornando um gargalo importante do processo comercial da IA. Em uma Ethernet convencional, a capacidade computacional da IA de centrais de dados só consegue chegar a 50% devido a taxa de perda de pacotes de 1%.

Ao mesmo tempo, a indústria espera que o volume anual de dados em todo o mundo aumente de 10 zetabytes em 2018 para 180 zetabytes (180 bilhões de terabytes) em 2025. As redes de centrais de dados 100GE existentes não conseguirão lidar com a enxurrada prevista de dados. Além disso, os métodos de O&M manuais tradicionais não conseguirão satisfazer os requisitos à medida que o número de servidores de centrais de dados continua a aumentar e a rede de informática, rede de armazenamento e rede de dados se convergem. Portanto, é essencial que as tecnologias inovadoras sejam desenvolvidas e apresentadas a fim de aprimorar a capacidade O&M inteligente.

A CloudEngine 16800 usa o algoritmo inovador iLossless para implementar o autossensoriamento e a auto-otimização do modelo de tráfego, percebendo assim um latência menor, bem como maior rendimento baseado em uma perda zero de pacote. O equipamento, segundo a empresa, supera as limitações da capacidade computacional causadas pela perda de pacotes na Ethernet tradicional, aumentando a capacidade computacional da IA de 50 a 100 por cento e aprimorando as Operações de Input/Output (Entrada/Saída) por Segundo (IOPS, na sigla em inglês) em 30 por cento.