A sanção presidencial ao PLC 79, que muda o marco legal das telecomunicações, vai gerar novas oportunidades de negócios no setor, ao invés de criar uma concorrência desleal a favor das grandes operações contra os provedores regionais de internet (ISPs). Essa é a avaliação do presidente da Furukawa para a América Latina, Foad Shaikhzadeh, a respeito do temor de entidades de pequenos provedores que a nova legislação vai carrear vultosos investimentos das operadoras em áreas já atendidas pelo segmento de menor porte.

“Acho que tem que olhar isso de forma bem construtiva. A  maior operadora da Península Ibérica, que por coincidência está aqui no Brasil, tem no país de origem dela 800 provedores de internet até o dia de hoje”, afirmou o executivo.

Ele participa do evento realizado pela Furukawa em Atibaia* (SP) com vários parceiros empresariais, inclusive entidades de pequenos provedores que temem o avanço das grandes operadoras em seus territórios.

A seu ver, os provedores têm seu mercado e existe espaço para todos. “Os ISPs continuam operando [na Espanha] porque atendem nichos de mercado que as grandes operadoras não vão estar presentes”, diz.

Por Abnor Gondim*

* Jornalista viajou a convite da Furukawa