A Cisco continua crescendo na casa dos dois dígitos, apesar do cenário econômico de baixa recuperação, e fora do eixo Rio-São Paulo-Minas Gerais a expansão das vendas tem sido ainda mais vigorosa. Os dados sobre o desempenho da companhia foram apresentados pelo presidente da Cisco do Brasil, Laercio Alburquerque, em encontro com jornalistas e analistas durante o Cisco Connect, realizado nos dias 19 e 20, em São Paulo.

De acordo com Albuquerque, os provedores regionais de acesso à internet e serviços de comunicação são responsáveis por parte desse crescimento das vendas em outras regiões do país. Como a empresa só divulga números globais de desempenho, Renier Edward Souza, diretor de Engenharia, informou apenas que a meta estipulada para o segmento foi superada em dobro.

Para isso, o diretor diz que a companhia montou, junto com entidades de provedores, como Abrint e Redetelesul, um programa de financiamento com bancos privados para viabilizar modelos de negócio, para atender às necessidades dos associados.

Segundo Albuquerque, o que explica o crescimento das vendas tanto de sistemas de comunicação (servidores, switches e routers como de softwares, na modalidade de assinatura), num ambiente econômico adverso, é a necessidade de as empresas se digitalizarem, para aumentar a produtividade e reduzir custos. “Elas podem até cortar em outras áreas, mas não podem cortar em tecnologia”, avalia.