A novidade da Prysmian para os de fornecedores provedores regionais de acesso à internet é sua entrada no segmento de equipamentos passivos para rede – splitters, conectores e bastidores -, a partir deste ano. Para o futuro, pode ser que também venha a fornecer GPON (Gigabit Passive Optical Network), em parceria com algum fabricante.

Quem conta a novidade é Reinaldo Jerônymo, diretor comercial da área de telecom da empresa, que em 2015 dobrou a capacidade de produção de sua planta em Sorocaba (SP) para até 3 milhões de km de fibra ao ano. Com a queda da demanda das operadoras em 2016, as receitas da área de telecom na área óptica conseguiram certo equilíbrio, segundo Jerônymo, graças ao segmento de provedores e às exportações para a América do Sul. Hoje, os provedores regionais respondem por 35% das vendas da divisão de telecom.

Para 2017, a expectativa da Prysmian é retomar o patamar de vendas de 2015. “O mercado tende a crescer no segundo semestre”, estima ele, prevendo uma retomada das compras por parte das operadoras. O faturamento da empresa é da ordem de R$ 1,5 bilhão, sendo 2/3 na área de cabos elétricos e 1/3 na de telecom.