Em andamento a seu processo de transformação digital, iniciado há dois anos, e que se completa em 2019, a TOTVS inaugurou ontem, 13, sua nova sede em São Paulo, com o lançamento da Carol, plataforma de dados e inteligência artificial. A partir do conceito #somostotvers, a companhia, que volta seu foco também para o segmento de provedores de acesso à internet, reorganiza sua atuação em três pontos: cultura e ambiente (o colaborador fica no centro da inovação), processo e atendimento(mais rapidez e mais simplicidade), e oferta e portfolio (inovação no DNA).

O CEO, Laércio Cosentino (foto), explicou que com a evolução do negócio de software “é preciso mudar do modelo de software fechado para um modelo aberto; em vez de pensar desktop, pensar em mobile; e, no lugar do software aplicativo, com vários usuários ao redor, é fundamental desenvolver uma plataforma de software aplicativo, com capacidade para ganhar escala”.

A plataforma Carol cumpre essas funções com recursos de inteligência artificial. Dante de um crescente volume de informações disponíveis, a tecnologia permite que as organizações aprimorem a propriedade dos dados e ampliem a capacidade de análise, conferindo mais velocidade à tomada de decisões. Uma das aplicações desenvolvidas com a Carol e a Bematech, empresa do grupo TOTVS de dispositivos inteligentes, se aplica à Bemacash, solução para ponto de venda voltada a micro e pequeno varejo. Quanto mais dados a plataforma recebe dos clientes, mais “aprende” sobre o setor para fornecer informações relacionadas a um produto e sua cadeia de produção ou à concorrência local.

Cosentino dá um exemplo na área de educação: “É monitorar a evolução do risco de evasão por período, por curso, e até por aluno. A plataforma mostra não apenas qual a probabilidade do estudante desistir da faculdade, mas quais os motivos, e em qual grau de influência, o estão levando a esse comportamento. De quebra, faz a conta do prejuízo, em reais, caso esse aluno desista do curso, em determinado mês”.

Com cerca de 40 clientes já utilizando a plataforma, a base de dados começa a ganhar corpo. “Damos uma devolutiva para o cliente, que consegue enxergar suas posições em relação ao universo da base. Mas cada empresa vê apenas os seus dados, não tem acesso aos dados de outra empresa”, diz Cosentino.

A nova sede da empresa, uma área construída de 62 mil metros quadrados, onde trabalham 2 mil pessoas, foi concebida para estimular a inovação, com laboratório UX Lab, espaços de trabalho colaborativo, opções de lazer e diversos serviços.