Crédito digital tende a manter forte ritmo de crescimento em 2021


A necessidade crescente de recursos por parte de pessoas físicas e jurídicas durante a pandemia, estimulou os empréstimos intermediados por fintechs de crédito e bancos digitais ao longo de 2020. De acordo com dados do setor, o segmento triplicou o volume concedido em 2019, na casa dos R$ 3 bilhões, ficando em torno de R$ 9 bilhões no ano passado. Para 2021, a estimativa é que o montante possa dobrar.

Segundo a Associação Brasileira de Crédito Digital (ABCD), entidade que reúne as fintechs de crédito, o movimento pode ser explicado pelo novo comportamento do consumidor, que por necessidade teve de migrar suas atividades para o ambiente digital, o que ampliou a demanda por serviços financeiros online, e também pela mudança nas instituições financeiras tradicionais, que se tornaram mais conservadoras e seletivas para dar crédito e aceitar novos clientes, criando oportunidades para as empresas que nasceram no ambiente digital.

Na visão de Rafael Pereira, presidente da ABCD, neste ano a expectativa é que o ritmo de crescimento do crédito digital se mantenha e alcance um volume ainda maior. “Depois de duas décadas sem novidades, o sistema financeiro brasileiro passa por um processo de inovação importante, que traz novos players, amplia a atuação de instituições e fomenta a competição. Tudo isso contribui para a ampliação do mercado”, analisa.

PUBLICIDADE  

“A tendência é que o volume de crédito intermediado pelas fintechs e bancos digitais tenha um crescimento exponencial em 2021, mesmo que o aumento seja sobre uma base pequena, a quantidade de operações tem subido fortemente”, pontua Pereira.(Com assessoria de imprensa)

 

 

 

Previous Viacom/CBS faz campanha para ISPs incluírem seus canais no portfólio de serviços
Next Google Cloud anuncia Alberto Oppenheimer como diretor de soluções e vendas para AL

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *