EDP desenvolve projeto para resolver problema dos postes


Pressionada a resolver a questão da ocupação desordenada dos postes, que vem dando dor de cabeça a todas as concessionárias de energia que já têm o seu encalço o Ministério Público, a EDP está desenvolvendo um projeto piloto para substituir os atuais cabos para raio da rede urbana por cabos com fibra óptica. A ideia é que as fibras desse cabo possam ser compartilhadas com terceiros, parte daqueles que usam os postes para pendurar seus cabos ópticos.

Trata-se de um projeto de pesquisa e desenvolvimento, aprovado pela Aneel, a agência reguladora da área elétrica, e desenvolvido em conjunto pela EDP Espírito Santo, EDP São Paulo e Furukawa, que é a fabricante do cabo. Segundo Alan Weiner, gerente do projeto na EDP Escelsa, o piloto será implantado em fevereiro do ano que vem.
Em Vitória, serão dez quilômetros de rede automatizada com roteador Fiber Mesh e sistema de supervisão e controle de subestação. Em São José dos Campos, no Vale do Paraíba, em São Paulo, outros oito quilômetros. O cabo, da Furukawa, é um OPDC (Optical Distribuition Cable).Trata-se de um cabo híbrido, metálico com fibra óptica no interior, capaz de conduzir energia elétrica e, ao mesmo tempo, fazer a transmissão de dados em banda larga.

Não se trata do primeiro piloto com a tecnologia OPDC, que foi desenvolvida pela Furukawa em parceria com a unidade Embrapii CPqD. Seu primeiro trial foi justamente no projeto de uma rede sinérgica desenvolvido pela Cemig em parceria com o CPqD com apoio dos programas de P&D da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e da Fapemig. Também a Eletropaulo e a Copel têm pilotos com a tecnologia.

PUBLICIDADE  

De acordo com Weiner, que falou aos provedores regionais de internet no evento Furukawa Summit, ontem, 27, em Comandatuba, Bahia, depois que o piloto for aprovado, a ideia da concessionária não é iluminar as fibras. Mas deixá-las à disposição de terceiros, que poderão alugar capacidade. O cabo OPDC tem uma “derivação”em cada poste.

Previous Anatel cria comitê destinado às operadoras de pequeno porte
Next Anatel pretende acelerar a adoção do novo critério de prestador de pequeno porte

2 Comments

  1. Avatar
    Rafael Nunes
    2 de outubro de 2018
    Responder

    Olá Lia, tudo bem? Sou estudante de Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Ceará. Estou no processo de realização do meu TCC e queria muito ler seus livros para poder aproveitar-los na minha introdução. Tratarei um pouco da temática de tecnologias atuais, e acho que seus livros “A Revolução da Mobilidade” e “Telecomunicações no Desenvolvimento do Brasil” devem possuir informações muito úteis para mim. No entanto, pesquisei em uma loja de livros usados e os dois me custariam 60 reais juntos, não tenho como pagar esse valor, por isso te procurei. Só encontrei esse blog, mas espero que possa ser suficiente, pois quero muito saber se haveria como você me proporcionar algum tipo de desconto para estudante ou professor em alguma edição que você venha ainda a ter, ou, por exemplo, alguns artigos que lidem com o tema de desenvolvimento e a rápida evolução tecnológica que nossa cultura sofreu. Também há a possibilidade de você enviar uma cópia para doação para a biblioteca da UFC, seria uma boa!
    Caso você possa me ajudar com isso, meu email é rafael23.labomar arroba gmail ponto com!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *