Apesar de serem afetadas pela paralisação dos caminhoneiros, duas associações que representam ISPs no Sul do país apoiaram o movimento. Para a InternetSul (Associação dos Provedores de Internet do Sul ), a ação é importante para “combater o aumento desenfreados dos combustíveis, energia e tantos outros que fragilizam a economia nacional”. A RedeTelesul, que também reúne micros e pequenas empresas que oferecem acesso à Internet, esse é um momento de união contra “a forma como o país vem sendo conduzido”.

Em seu comunicado, a InternetSul também faz críticas à proposta do governo de reoneração da folha de pagamento a fim de bancar o corte da alíquota do PIS/Cofins do óleo diesel. “Com a reoneração aumentarão os custos de pessoal de 28 segmentos da economia”.

De acordo com a InternetSul, somente no setor de tecnologia a reoneração poderá acarretar consequências drásticas, como “extinção de cerca de 83 mil empregos nos próximos dois anos”.

PUBLICIDADE  

Na avaliação de Helton Dorl, diretor de comunicação e marketing da RedeTelesul, os caminhoneiros provaram que podem parar o país. “É disso que precisamos para pressionarmos mudanças na forma como o país vem sendo governado e que está causando prejuízos a muitos”, salientou.

Dorl disse que a RedeTelesul vem sendo afetada pela movimentação, muito dos equipamentos comprados, como fibras e novas mercadorias, não estão chegando. “E nossos carros estão ficando sem combustível”, afirmou.