InterNexa Brasil aumenta capacidade da rede entre SP e RJ


A colombiana Internexa investe na ampliação da oferta de serviços e, com isso, de sua base de clientes no Brasil. A operadora de telecomunicações possui uma extensa rede de fibras ópticas na América Latina e Estados Unidos, e estar investindo no aumento da capacidade de transmissão de suas redes DWDM (Dense Wavelength Division Multiplexing) entre os estados de São Paulo e Rio de Janeiro.

Para atender ao aumento da demanda por altas taxas de transmissão entre duas das mais importantes regiões metropolitanas do país, a InterNexa Brasil utilizou sistemas da Padtec para iluminar novos canais livres de sua rede óptica instalada (Alien Wavelength), com taxas de transmissão de até 300 Gbps. No total, os canais ópticos iluminados pela Padtec para a operadora cruzam mais de 650 quilômetros, interligando os principais data centers e estações submarinas das capitais do Rio de Janeiro e de São Paulo.

PUBLICIDADE  

O diretor-presidente da InterNexa Brasil, Carlos Gaviria, afirma que a demanda cada vez maior do mercado por banda e velocidade exige a intensificação do investimento em infraestrutura de alta capacidade. “Por atuar em um setor atento às evoluções tecnológicas, a InterNexa está sempre pesquisando e analisando as mais modernas tecnologias disponíveis, de modo a escolher a que melhor atende às demandas do mercado e com a melhor relação de custo e performance”, explica. “Assim, nossos clientes podem deixar conosco o cuidado com as necessidades de infraestrutura e concentrar seus recursos na garantia de qualidade na ponta, para o consumidor”, acrescenta o executivo.

Para iluminar a nova rota da operadora, a Padtec forneceu sistemas DWDM de última geração com tecnologia ROADM (Reconfigurable Optical Add-Drop Multiplexer) – que adiciona mais flexibilidade no direcionamento do tráfego das redes ópticas –, os modernos transponders de 1,2 Tb/s, amplificadores ópticos e sistemas de proteção de rota. Um dos destaques do projeto está na rota reserva iluminada na malha óptica da InterNexa, com distância total de 1.500 quilômetros de extensão, conectando Rio de Janeiro e São Paulo via Belo Horizonte. O uso dessa nova geração de transponders dispensou a necessidade de regeneração do sinal ao longo da rota, contribuindo para a redução de custos de implantação e de manutenção de estações no sistema óptico de longa distância da operadora.

Alinhada às tendências internacionais da tecnologia DWDM para o segmento de data centers, a nova linha de transponders de 1,2 Tb/s (até 600 Gb/s por canal óptico) da plataforma LightPad i6400G da Padtec combina alta taxa de transmissão de dados com menor custo por bit transmitido. “Uma das novidades técnicas dessa geração de transponders está na mecânica de 300 mm de profundidade, que atende ao padrão dos racks em ambientes de data centers e, também, das estações de telecom para aplicações em redes metropolitanas, backbones ópticos terrestres e sistemas submarinos de operadoras e provedores de serviços de internet”, ressalta Argemiro Sousa, diretor de Negócios e presidente interino da Padtec.(Com assessoria de imprensa)

Previous Negócios digitais devem transformar gestão de dados em 2021
Next Unifique já tem mais clientes que Oi e Vivo em Santa Catarina

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *