Oi e Vivo foram as operadoras que mais perderam na competição com ISPs


A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou hoje, 25, um relatório analisando a evolução do mercado de banda larga fixa brasileiro. Os dados apontam um crescimento constante dos provedores de pequeno porte (PPP) e perda de clientes por parte das grandes empresas. No estudo, a equipe técnica da agência elaborou comparativos anuais de market share de 2007 a 2018.

Os dados indicam perda contínua da Oi e da Vivo quanto à participação de mercado, evolução da Claro/Net e dos provedores de pequeno porte.

PUBLICIDADE  

Conforme o levantamento da agência, a participação da Oi no mercado nacional de banda larga fixa passou de 42,6% em 2007 para 19,2% em 2018. A Vivo encolheu de 28,1% para 24,3%, mas é importante lembrar que em 2016 a companhia acrescentou clientes vindos da GVT, adquirida em 2015 pelo grupo Telefônica.

Já os provedores de pequeno porte, aqueles com menos de 5% do mercado local de banda larga, passaram de 19,4% a 26,4%. E a Claro, que comprou a Net através da Embratel em 2010, passou de 10% em 2007 para 30% em 2018.

Mercado cresceu pra todo mundo

É importante lembrar, no entanto, que a perda de market share não significa que houve uma retração na base de mesma proporção. Pelo contrário, comparados os números atuais de assinantes, com os de 2007, todos os grupos cresceram em função do aumento do mercado como um todo.

Conforme a Anatel, de 2007 até o final de 2018, a base de banda larga fixa do Brasil aumentou 276%. Significa expansão anual de 12,8%. Passou de 8,26 milhões de acessos para 31,05 milhões. Os números indicam que alguns grupos econômicos (Claro e PPPs) souberam capturar novos clientes e segurar sua base melhor que os demais (Oi e Vivo).

PPPs à frente de Oi e Vivo

As tabelas da Anatel mostram que a tendência de atração de clientes pelas pequenas continua. Nos últimos três anos,  período em que não houve consolidação de grande porte no setor, Oi, Vivo e Claro perderam participação de mercado, seja porque encolheram, seja porque cresceram em ritmo mais lento que as PPPs.

Apenas em 2018, comparado a 2017, a Oi encolheu 13,7% em número de assinantes de banda larga fixa. Ou seja, desligou 309,9 mil acessos e terminou o ano com 5,9 milhões de clientes deste serviço. A Vivo encolheu 0,2%, o que equivale à perda de 5,3 mil acessos, restando com o total de 7,5 milhões. A Claro/Net cresceu 20,6% (+467 mil), encerrando 2018 com 9,36 milhões de assinantes. Já as PPPs expandiram 93,3% (+2,18 milhões), e fecharam o ano com o total de 8,2 milhões de clientes.

Previous Everest Ridge apresenta produtos para ISPs no Ibusiness 2019
Next Unifique investe em data center para diversificar atividades

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *