Pequenas empresas podem contribuir com U$ 9 bi para o PIB do país até 2024


Estudo conduzido pela Cisco durante a pandemia mostra a prontidão das pequenas empresas para adotar tecnologias-chave, o impacto da tecnologia na geração de crescimento econômico e as oportunidades e os desafios do segmento. Segundo o levantamento, 96% das pequenas empresas dizem que o COVID-19 tornou seus negócios mais dependentes da tecnologia.

Além disso, 62% das pequenas empresas acreditam que a digitalização de negócios é fundamental para sua organização se tornar mais resiliente no futuro. As áreas mais impactadas pela COVID-19 no Brasil incluem estilos de trabalho (14%), fluxo de caixa (14%), produção de vendas (13%) e produção (13%)

Esses dados fazem parte do novo Estudo de Maturidade Digital das Pequenas Empresas 2020 (2020 Small Business Digital Maturity Study), realizado em oito países. De acordo com o levantamento, as empresas de pequeno porte podem acrescentar US$ 2,3 trilhões ao PIB mundial até 2024, contribuindo para a recuperação econômica durante e após a pandemia.

PUBLICIDADE  

A pesquisa, realizada pelo IDC e encomendada pela Cisco, analisou pequenas empresas nos Estados Unidos, Canadá, México, Brasil, Chile, Reino Unido, Alemanha e França para entender melhor suas oportunidades e desafios atuais e a correlação entre maturidade digital e maiior rapidez de recuperação. Juntas, essas oito economias também podem ter um incremento de 5,5% e alcançar uma taxa de crescimento 42% mais rápida graças à maior digitalização de pequenas empresas.

A fim de entender o nível de maturidade da digitalização dessas empresas, o IDC desenvolveu parâmetros para ajudá-las a avaliar com clareza suas capacidades atuais e saber onde estão em um índice de quatro estágios ­– que vai de Digital Indifferent, no primeiro estágio, até o Digital Natives, o mais avançado. Esse estudo é uma continuação do estudo APJC SMB, divulgado em julho.

“A pandemia de Covid-19 exacerbou a desigualdade digital que já estava presente no mercado de pequenos negócios e está forçando as empresas a acelerar sua digitalização”, afirma Daniel-Zoe Jimenez, vice-presidente associado e chefe de pesquisas de Transformação Digital e PME do IDC. “As pequenas empresas estão se dando conta de que a digitalização não é mais uma opção, e sim uma questão de sobrevivência. Embora a pesquisa mostre que muitas pequenas empresas estão progredindo, elas devem aumentar o foco nos processos e nas operações de digitalização, utilizando tecnologias digitais para garantir a continuidade dos negócios e sua resiliência futura.”

Digitalização

O estudo trouxe dados exclusivos sobre o cenário de digitalização das pequenas empresas no Brasil. 51% delas se encontram no estágio inicial, Digital Indifferent ou Fase 1. Isto coloca o país na 18ª posição no ranking de maturidade digital das pequenas empresas. A estimativa é que até U$ 9 bilhões podem ser somados ao PIB nacional até 2024 através da digitalização das pequenas empresas.

Para os pequenos empresários, entre as áreas mais impactadas pelas Covid-19, estão estilos de trabalho (14%), fluxo de caixa (14%), produção de vendas (13%) e produção (13%). Contudo, 96% das pequenas empresas dizem que a COVID-19 tornou seus negócios mais dependentes da tecnologia.

Outro dado importante é referente à digitalização futura do negócio. 81% creem que a Covid-19 acelerará a digitalização de seus negócios. Mas para 79%, esta aceleração se dará no patamar entre 11%-50%. Além disso, 62% das pequenas empresas acreditam que a digitalização de negócios é fundamental para sua organização se tornar mais resiliente no futuro. Os pequenos empresários também estão reconhecendo o papel da digitalização na sua competitividade: 67% dizem que o principal motor para se transformar digitalmente é trazer novos produtos e serviços para o mercado, distanciar-se da concorrência e crescer.

Os entrevistados brasileiros também responderam sobre os principais desafios para digitalizar seus negócios, entre eles estão: a resistência cultural à mudança (18%), escassez de talentos e habilidades dentro da organização (17%) e falta de tecnologias necessárias para viabilizar a transformação digital (12%).

Por fim, os principais investimentos em soluções  tecnológicas que as pequenas empresas farão nos próximos 18 meses incluem soluções para ajudar os funcionários a trabalhar remotamente e/ou automatizar processos principais (44%), tecnologias digitais para melhorar as vendas online (44%) e  uma estratégia digital que os ajudará a navegar na crise com metas claras (42%).

De acordo com Jay Gumbiner, Vice-presidente de Pesquisa da IDC América Latina, “O segmento de PME sempre será importante na região da América Latina, pois é um dos ‘motores’ de crecimiento que representa mais de 80% dos empregos. No ecossistema de 13,2 milhões de empresas formais, quase 900 mil têm entre 50-499 empregados, enquanto mais de 12 milhões têm menos de 50 empregados. Os fornecedores que encontrarem formas de oferecer serviços e suporte para esse bloco de empresas de uma maneira eficiente serão os líderes de amanhã.”

Veja mais em: 2020 Small Business Digital Maturity Study (Com assessoria de imprensa)

Previous Serviço da Embratel ajuda a adequação de pequenas empresas à LGPD
Next Plataformas de TV paga via internet comemoram decisão da Anatel

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *