RW Telecom inaugura rede enterrada ligando Praia Grande a Barueri


A RW Telecom concluiu a construção de uma rede de fibra óptica 100% enterrada, ligando os principais pontos de chegada dos cabos submarinos na Praia Grande (Seaborn, Monet, Telxius e Malbec) com as cidades de São Paulo e Barueri. A rede foi lançada na faixa ferroviária sob concessão da MRS Logística, na ligação entre o litoral e a capital. A infraestrutura tem extensão total de 126km lineares e conta com equipes de operação e manutenção on-site nos trechos de planalto, serra e baixada santista. 

PUBLICIDADE  

Nas áreas urbanas, a rede atravessa os municípios de Praia Grande, São Vicente, Santos, São Paulo, Osasco e Barueri. Apesar de ser um sistema singelo, dado sua unicidade, a rota é uma nova opção para redundância dos sistemas existentes. “A rede foi construída totalmente do zero, em um projeto greenfield, o que trouxe desafios adicionais, devido à pandemia que vêm nos impactando, além da dificuldade logística da implementação. O importante é que a rede está pronta, e entregando uma atenuação bastante diferenciada, uma vez que o método construtivo e os materiais empregados, foram os melhores existentes” destaca o CEO da RW Telecom, Rafael Domingues.  

Os principais cabos submarinos que atendem o mercado nacional, tem um ponto de parada na Praia Grande, o que faz desse município, um local estratégico para receber o conteúdo internacional. O sistema é composto por uma rede de conexão na Praia Grande, que se interliga com a rede que sobe do litoral, chegando em São Paulo e Barueri. Além disso, existe um ponto de regeneração, na metade do caminho, para permitir que se coloque equipamentos.  

“Temos a melhor oferta do mercado em uma rota ultra premium. Vendemos fibra apagada, podendo ser uma contratação de longo prazo (IRU) ou um aluguel com base mensal. Não vamos competir com nossos clientes, por isso, não está nos planos iluminar essa rede e explorar serviços, apenas ofertaremos fibra como infraestrutura. Essa oferta de infra pura, é uma referência a modelos comerciais já praticados internacionalmente” destaca Domingues.(Com assessoria de imprensa 

Previous Anatel prorroga a consulta da revisão do uso da faixa de 4,8 GHz
Next A era do trabalho híbrido: você precisa de uma rede segura e ágil

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *