Segurança digital no home office


Por Eduardo Meirelles*

A quarentena implementada pelo governo brasileiro, seguindo o padrão mundial de combate ao coronavírus, trouxe inúmeros desafios. Além de empresas fechadas e da economia entrando em recesso, tivemos funcionários de empresas públicas e privadas que começaram a operar em home office. Neste caso, a segurança digital no home office se tornou um grande desafio.

Naturalmente, há empresas que estão preparadas para este cenário. Mas, em geral, as corporações vêm enfrentando dificuldades, principalmente no trato com os dados sensíveis. Se isso já era um desafio quando os funcionários estavam alocados internamente, usando a infraestrutura local, agora o problema é muito maior.

PUBLICIDADE  

Mas existem práticas fundamentais na segurança digital do home office. Selecionei algumas que devem ser aplicadas para qualquer empresa:

– Identifique como será a dinâmica de trabalho de cada setor. Empresas que precisam de acesso remoto à rede, tem um funcionamento diferente das que já trabalham 100% em web.

– Da mesma forma, identifique os dispositivos usados e defina como eles podem acessar dados e diferentes níveis da estrutura de rede. Se os colaboradores precisam de acesso remoto à rede, é fundamental o registro de cada equipamento – celulares, tablets e computadores.

– O VPN (Rede privada virtual, do inglês Virtual Private Network) é fundamental, em muitos casos. Quando a empresa conta com uma rede física ou lógica e o funcionários precisam acessá-la remotamente, é o VPN que protege grande parte das tentativas de invasão. Como já acontece com dispositivos móveis, o VPN, quando configurado de forma correta e integrado a outras soluções de segurança da empresa, pode proteger os dados sensíveis.

– Monitore as redes e o tráfego em geral. Devido à variação de velocidade da internet no trabalho home office, costuma ocorrer diferentes dinâmicas no tráfego da rede. Porém, só será possível determinar uma mudança incomum no tráfego, decorrente de um possível ataque, se tudo estiver sendo monitorado. O monitoramento constante, tanto do tráfego, quanto das questões ligadas à segurança, como acessos e outros elementos, é fundamental para evitar acessos indevidos.

– A nuvem é uma ótima alternativa para a segurança digital no home office, pois o compartilhamento de arquivos acontece de forma mais fácil e mais rápida. Mas para que este procedimento não coloque em risco a segurança digital, é fundamental que todos os dados e processos estejam protegidos e configurados, através de redes seguras, de preferência com VPNs, criptografias de ponta a ponta e um cloud bem estruturado. Há ainda os elementos já comuns da proteção digital, que são os antivírus, firewalls, sistemas anti-DDoS e monitoramento de segurança (SOC).

– Utilize softwares validados e confiáveis, como os usados para comunicação, acompanhamento ou mesmo produção de tarefas. Jamais utilize softwares gratuitos ou de fontes desconhecidas, que podem roubar dados e informações importantes.

Existem soluções no mercado que melhoram a segurança digital no home office, como VPNs específicos para acessos remotos, sistemas implementados em cloud, validação de sistemas e softwares e principalmente, monitoramento constante dos acessos à rede, voltados para empresas que lidam com dados sensíveis e precisam melhorar a eficiência e segurança de suas redes.


*Eduardo Meirelles é Diretor Comercial da Everest Ridge

 

Previous IBGE: banda larga fixa lidera no Nordeste
Next Governo adia LGDP para maio de 2021 e abre oportunidade para aperfeiçoamento da lei

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *