A TV paga terminou abril praticamente estável. As operadoras do setor desligaram 8,88 mil acessos no mês, equivalente a 0,05% do total de 17,97 milhões de assinaturas. Contabilizados como “Outras”, os provedores regionais foram os responsáveis pela maior parte das adições no mês. Acrescentaram 31,9 mil acessos em abril, enquanto Telefônica e Oi adicionaram, respectivamente, 7,5 mil e 3,2 mil. Ou seja, os pequenos foram responsável por nada menos que 74,73% das adições.

Apesar desse resultado, ainda é pequeno o número de provedores regionais que optou pela oferta de serviços de assinatura. Mesmo alguns que possuem a licença Seac, que lhes permitira prestar esse serviço, há muitas reticências em fazer investimento para esse mercado que vem apresentando uma curva de queda há algum tempo.

No resultado geral, na comparação anual, a baixa é de 4,33%, equivalente a 814 mil acessos. Os números foram revelados hoje (28) pela Anatel.

PUBLICIDADE  

Em números absolutos, a Sky foi a operadora que mais perdeu clientes no período, após desligar 30,7 mil acesos. Em seguida, vem a Claro (Net), com 18 mil desligamentos em abril.

No ano, a Oi segue isolada como responsável por atrair a maior parte dos novos clientes de TV paga brasileiros. A operadora cresceu 11,4% em 12 meses, somando 156 mil novos acessos. Outra operadora que cresceu em um ano foi a Algar, que somou quase 22 mil assinaturas.

Ainda assim, pouco mudou em termos de market share desde abril de 2017. A Oi ganhou pouco mais de 1 p.p., ficando com 8,51% de participação, se aproximando da Telefônica Vivo, que terminou o mês com 8,87% de fatia de mercado.

Claro e Sky continuam a concentrar quase 80% do mercado. A Claro, porém, perdeu 1,48% de share desde então, ficando agora com 49,85%. E a Sky perdeu 0,2%, ficando com 29,35%. Os provedores regionais, apesar do crescimento deste mês de abril, no último ano registraram apenas 1,52% de market share (tinham 1,65% há um ano).