O WhatsApp criou uma coleção especial de materiais para ajudar profissionais de saúde a aproveitar ao máximo as ferramentas do app e, além disso, para que o público em geral mantenha contato com seus entes queridos durante esse período de isolamento, incluindo dicas sobre como evitar informações erradas e notícias falsas. A ação é parte da resposta da plataforma à pandemia de COVID-19.

Os materiais incluem tutoriais rápidos em vídeo no formato horizontal e vertical para facilitar a visualização em celulares, além de infográficos de uma página com orientações passo a passo. Além disso, levando em conta que alguns ambientes possuem baixa largura de banda, os tutoriais em vídeo foram divididos em arquivos de áudio – ou mensagens de voz – para serem compartilhados através do WhatsApp. Atualmente, todos os recursos estão disponíveis em português, inglês e espanhol.

Esses materiais gratuitos podem ser encontrados na Central de Informações sobre o Coronavírus, juntamente com outras recomendações para o público, profissionais de saúde, pequenas empresas e governos. Para baixar a coleção, basta clicar em: https://www.whatsapp.com/coronavirus/downloads.

PUBLICIDADE  

Apoio

Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do COVID-19, o WhatsApp firmou parceria com governos e ONGs de todo o mundo para estabelecer linhas de apoio a informações sobre coronavírus, com o objetivo de manter as pessoas seguras e bem informadas através de fontes confiáveis. Lançamos chatbots de informações sobre o COVID em parceria com a OMS, com versões em português inglês e espanhol, entre outros idiomas, além de serviços semelhantes em parceria com o Ministério da Saúde do Brasil  e a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. No restante da América Latina, parcerias também foram firmadas com os ministérios da Saúde da Argentina, Colômbia, Equador, México e Uruguai.

Em associação com a Rede Internacional de Verificação de Fatos (IFCN), também foi criado um chatbot de verificação de fatos global no WhatsApp. O bot permite que usuários de todo o mundo analisem o banco de dados da IFCN de 4.000 boatos desmascarados, pesquisem verificações de fatos por palavra ou frase e também descubram como entrar em contato com verificadores locais em seu país, incluindo o Brasil. O serviço está disponível em inglês e espanhol. Em breve, será disponibilizado em português.

A empresa também doou US$ 1 milhão à IFCN para ajudar a solucionar a desinformação do coronavírus em todas as plataformas.(Com assessoria de imprensa)