Em junho, os provedores regionais de internet foram os campeões em atração de usuários. Mais da metade dos clientes acrescentados à base naquele mês aderiram a planos de ISPs locais. Em um ano, o cenário é semelhante: os provedores foram responsáveis por 1,77 milhão de novas assinaturas. No final de junho, eles somavam 5,4 milhões de clientes.

Com isso, segue a tendência de aproximação entre ISPs e Oi, a terceira maior operadora de banda larga em número de assinantes. A empresa perdeu 9,3 mil acessos em junho, fechando o mês com 6,19 milhões de clientes.

A segunda colocada em quantidade de usuários é a Telefônica Vivo, com 7,7 milhões de acessos. A empresa ganhou 27,29 mil assinantes. A Telecom Americas (Claro, Net, Embratel) continua líder, com 9,1 milhão de acessos. Em junho, conquistou 16,7 mil novos clientes.

De acordo com dados divulgados pela Anatel, o Brasil tinha 30.308.227 assinantes de banda larga fixa em junho. Significa que houve um aumento de 0,4% na base entre maio e junho, de 121,2 mil. Em relação ao mesmo período do ano passado, o país experimentou um aumento de 8,98% na quantidade de acessos fixos de internet.

A velocidade de banda larga que mais cresceu foi acima de 34 Mbps. Esta categoria ganhou 390,5 mil acessos (entre migrações e novos clientes), se aproximando dos 6 milhões de assinaturas. Já as velocidades até 2 Mbps foram as que mais encolheram no período, desligando 179,4 mil acessos. Os planos entre 2 Mbps e 34 Mbps (59% do total) também tiveram saldo negativo em junho – indicativo que as empresas estão incentivando o upgrade das contas pelos clientes antigos.

O número de links ligados por satélite também cresceu. Foram 2,11 mil novos acessos do tipo, que totaliza agora 157 mil. Em um ano, as conexões satelitais cresceram 100,89%. No último ano, aumentou a oferta de planos de acesso banda larga via satélite, com a entrada em operação de novos equipamentos.

Em termos de tecnologia, o cabo, usado principalmente pela Net, continua predominante. Usado em 9,25 milhões de acessos, cresceu 0,18% em junho. A fibra (FTTH) cresceu 6,57%, passando a marca dos 4,13 milhões de conexões. As tecnologias de rádio (spread spectrum) e xDSL (usada principalmente por Oi e Vivo) foram as que mais perderam clientes. A primeira desligou 62,7 mil pontos, enquanto a segunda, 52,3 mil.