O Internet Exchange (IX) de Fortaleza (CE) atingiu no mês de novembro um pico de 100Gbps de tráfego trocado, consolidando-se como o maior Ponto de Troca de Tráfego Internet do Nordeste e um dos maiores do País, atrás apenas de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Curitiba.

O projeto do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) e do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), o IX.br (Brasil Internet Exchange) compõe e promove a infraestrutura necessária para a interligação direta entre as redes que participam da Internet no Brasil.

Fortaleza é uma das 31 localidades que abriga um PTT. No último ano, registrou um crescimento de 75% no número de participantes: hoje são 110 Sistemas Autônomos (AS) interligados no IX da cidade. A localização estratégica de Fortaleza em relação à conexão aos Estados Unidos e aos continentes africano e europeu e o consequente investimento de empresas de “data center”, infraestrutura de fibra óptica e cabos submarinos na região contribuíram para impulsionar a adesão dos provedores de acesso e serviços (ISP – Internet Service Provider e CDN – Content Delivery Network) ao IX local.

“O NIC.br acompanhou a tendência de investimento das demais empresas, trabalhando para ampliar o potencial do IX Fortaleza. Dos sete PIXes (pontos de acesso ao IX.br) presentes na cidade, quatro foram implantados em 2018. Também em 2018 o NIC.br implantou infraestrutura local de serviços de resolução dos nomes de domínio .br, a primeira fora de São Paulo”, comentou Milton Kaoru Kashiwakura, Diretor de Projetos Especiais e de Desenvolvimento do NIC.br.

Segundo o NIC.br, entre os benefícios diretos do IX Fortaleza para os seus participantes está a racionalização dos custos, o aumento de eficiência e de resiliência, uma vez que o tráfego é resolvido direta e localmente e não por meio de redes de terceiros.

“Temos uma maior oferta de trânsito de boa qualidade, beneficiando não só a cidade de Fortaleza, mas a região Nordeste do país”, ressaltou Kashiwakura. A redução no tempo necessário para acessar um conteúdo da Internet (latência) e infraestrutura organizada da rede também são outras vantagens da iniciativa do NIC.br.