Rafael Bucco

do Tele.Síntese

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, comentou na manhã desta segunda-feira, 12, a situação de Sercomtel e Oi, ambas com prejuízos recorrentes e endividamento elevado. Segundo ele, a pasta acompanha os dados financeiros das empresas por meio de relatórios repassados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

“São questões sensíveis, ambas as empresas (Oi e Sercomtel) são importantes para economia brasileira. Ambas atuam em regiões importantes e vamos continuar com o trabalho de observação para que, por meio da Anatel, o governo possa fazer as ações necessárias”, disse.

A Oi passa por uma recuperação judicial, que deve ser votada pelos credores até setembro se não houver impugnações na Justiça sobre a lista de credores. A empresa atraiu diferentes investidores nos últimos dois anos, desde que teve o pedido de recuperação judicial feito na Justiça do Rio de Janeiro.

A Sercomtel, que tem como maior acionista a prefeitura de Londrina e como sócia a Copel, apresenta acúmulo de prejuízos e multas junto à Anatel. A rede da Sercomtel cobre 99 cidades do Paraná. Apesar de menor e ter como foco a telefonia fixa, pode ser alvo de aquisição, segundo o ministro: “Sempre existe atração para o investimento. No caso, poderia atrair um investidor médio, mas também um grande”.

Nota Sercomtel

A operadora enviou nota à redação do Tele.Síntese, em virtude da matéria publicada no dia 8, sob o título “Anatel acende o sinal vermelho para a Sercomtel, e passa a monitorá-la como à Oi”.

Conforme a assessoria, “a empresa informa que não recebeu, até o momento, nenhum requerimento para justificar informações divergentes ou apresentar dados complementares aos habituais e que qualquer solicitação da agência será prontamente atendida”.

E ressalta que, prestes a completar 49 anos de existência, “prima pela excelência de seus produtos e garantia de entrega de serviços de excelência a seus clientes, como demonstram os indicadores da Pesquisa de Satisfação e Qualidade Percebida, realizada anualmente pela Anatel.”

Contingenciamento
Kassab também falou sobre os cortes no orçamento para a pesquisa e a inovação no país. Neste ano, o MCTIC teve um corte de 44% da verba prevista no orçamento de 2016. A situação se faz sentir até na Anatel, que planeja medidas drásticas para manter a operação.

Diante do aperto, ele afirma estar recorrendo aos ministérios do Planejamento e da Fazenda para manter ativos programas de pesquisa e de incentivo à ciência. Na semana passada, revelou, conseguiu a liberação de recursos para tocar dois projetos: a construção da rede terrestre do Satélite Geoestacionário de Defesa e Telecomunicações (SGDC) e a montagem do acelerador de elétrons Sirius, previsto para entrar em funcionamento em 2018.

“Após conversa com o presidente Temer, ele nos liberou para ponderar junto à equipe econômica sobre a importância de restabelecer o orçamento para a finalização do projeto do nosso satélite, que é a rede terrestre. Não tem o menor sentido investir mais de R$ 2 bilhões, e para o momento final, de instalação da rede terrestre, faltar recursos. E também a área econômica nos liberou recursos para finalizar a primeira etapa do projeto Sirius. Ambos os projetos terão um adicional de R$ 700 milhões em recursos que nos permitirão atingir esses objetivos”, disse.