Os serviços de informação e comunicação apresentaram alta de 0,8% em fevereiro, após apresentarem ligeira variação negativa (-0,2%) em janeiro, quando interromperam quatro taxas positivas seguidas, com ganho acumulado de 3% entre setembro e dezembro de 2018. Porém, o segmento de telecomunicações continua em baixa de 1,1%, como aponta pesquisa de serviços do IBGE, divulgada nesta sexta-feira, 12.

Na comparação com igual mês do ano passado, os serviços de telecomunicações avançaram 1,1%, mas perderam 1,3%, nos últimos 12 meses. Os serviços de TIC variaram positivamente em fevereiro em 0,8% e 7,3% no confronto com o mesmo mês do ano passado. No acumulado do ano, o resultado ficou positivo e 6% e em 2% nos últimos 12 meses.

Os serviços de TI também voltaram a apresentar variação positiva em fevereiro de 4,8%, depois de amargar perdas de 3,8% em janeiro. Na comparação anual, a alta foi de 22% e 9,5% nos últimos 12 meses. Os serviços de audiovisuais mostraram alguma recuperação no confronto com janeiro, de 0,4%. Mas na comparação anual (-0,8%), no acumulado do ano (-3,1%) e nos últimos 12 meses (-4,3%) os índices ficaram negativos.

Na comparação anual, os serviços de informação e comunicação (6,2%) exerceu a contribuição positiva mais relevante. O resultado positivo, na avaliação do IBGE, foi, impulsionado, em grande medida, pelo aumento na receita das atividades de consultoria em tecnologia da informação; de telecomunicações; de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na Internet; de edição integrada à impressão de livros; e de tratamentos de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na Internet.

No acumulado do ano, também os serviços de informação e comunicação (4,8%) exerceram o principal impacto positivo sobre o índice global. O resultado positivo foi atribuído ao aumento da receita das empresas que atuam nos segmentos de consultoria em tecnologia da informação, de telecomunicações, de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na Internet e de desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis. Nos últimos 12 meses, esses serviços avançaram 1,2%.

Resultados gerais

Em fevereiro de 2019, o volume de serviços no Brasil teve variação negativa (-0,4%) frente ao mês anterior. Com isso, diz o IBGE, o setor acumula nos dois primeiros meses do ano uma perda de 0,9% e elimina a expansão observada em dezembro de 2018 (0,8%). No confronto com fevereiro de 2018, o volume de serviços cresceu 3,8%, sétima taxa positiva seguida nesse tipo de comparação e o resultado mais elevado desde fevereiro de 2014 (7,0%).

O setor acumula no ano alta de 2,9%, ganhando dinamismo frente ao encerramento de 2018 (0,0%), quando interrompeu três anos seguidos de taxas negativas (2015-2017) e acumulou perda de 11%. O acumulado nos últimos doze meses, ao passar de 0,2% em janeiro para 0,7% em fevereiro de 2019, apresentou o maior resultado positivo desde março de 2015 (1%) e manteve a trajetória predominantemente ascendente, observada desde abril de 2017 (-5,1%).