Cloud computing pode transformar o futuro dos ISPs


*Bruno Adorno

O uso da nuvem transformou o cenário tecnológico nos últimos tempos e os seus inúmeros benefícios atraem cada vez mais interessados em otimizar e reduzir custos operacionais. Mas engana-se quem pensa que apenas os usuários dos grandes centros (ou mesmo das grandes empresas) estão conectados a esta tendência. Quem trabalha, mora e vive nas regiões mais isoladas também está integrado ao uso da nuvem, e isso acontece porque os provedores de internet regionais (Internet Service Providers, ou ISPs) possuem uma relação muito estreita com o cloud computing. Para encarar o desafio da prestação de um serviço de qualidade, que cumpra as regulamentações governamentais e, ao mesmo tempo, atenda às demandas de um mercado cada vez mais exigente os ISPs podem utilizar a nuvem para otimizar a experiência dos consumidores e, ao mesmo tempo, manter a sustentabilidade de suas operações frente à concorrência com as grandes operadoras.

PUBLICIDADE  

A nuvem possibilita ao ISP manter uma infraestrutura de alta disponibilidade. Em outras palavras, o cloud computing revolucionou os serviços de conexão à internet e não é exagero dizer que o futuro da nuvem passa pelos ISPs assim como o futuro dos ISPs passa pela nuvem. Vemos o mercado de ISP se expandindo em diferentes cidades do Brasil com uma tecnologia que irá atender melhor às necessidades dos mais variados públicos-alvo, no entanto para se diferenciar neste mercado que vem crescendo ano a ano é necessário buscar por diferenciais que vão além da qualidade do link. Todo provedor atento ao seu negócio sabe que é essencial a um ISP conseguir oferecer ao mercado um rico portfólio de serviços gerenciados de alto valor agregado para poder se diferenciar, reter seus clientes e manter uma margem saudável. O provedor deve imaginar a sua rede como um diamante bruto, que pode ser lapidado para se tornar cada vez mais valioso. Uma boa forma de ‘trabalhar’ o brilho dessa pedra é oferecer os serviços de cloud computing aos clientes. Dessa forma, ele conseguirá se diferenciar e não irá padecer na concorrência por simples conectividade.

A era do Customer Success (sucesso do cliente) leva à necessidade de melhorar a experiência do cliente. O cenário econômico atual é extremamente desafiador para quem trabalha com tecnologia e telecomunicações. Por isso é preciso haver uma mudança de comportamento e mudar o mindset, para apresentar opções inovadoras aos clientes. Nessa corrida, os ISPs largaram na frente. Quem não entendeu esta dinâmica corre o risco de sumir do mapa. Parece drástico, mas o mercado vai ‘matar’ quem não se reinventar, principalmente quem não entender que o novo ‘céu de brigadeiro’ é aquele literalmente cheio de nuvens.

O primeiro passo é encontrar um parceiro que forneça serviços que possam ser incorporados como soluções de valor agregado. Estamos prontos para entregar aos ISPs uma solução de nuvem completa, composta por hardware, software e serviços, com monitoramento e suporte. Nós sabemos que o custo para aumentar a malha fibrada vem diminuindo o que abre uma janela de oportunidade para que os ISPs aumentem seu alcance. Fato importante é que apenas 10% da largura de banda instalada é utilizada. Os ISPs têm o desafio de aumentar esse consumo para potencializar seus investimentos em fibra.

Ao oferecer novas soluções ao cliente final, entregando serviços que agreguem valor o ISP passa a ter um impacto positivo em sua receita e em sua margem. De acordo com Bruno Adorno, a carga média para serviços de conexão é de aproximadamente 43% enquanto serviços de IaaS tem uma carga muito menor. Fato relevante é a tendência de consumo as a service, consumidores querem utilizar os serviços conforme a demanda.

Outra questão importante é a lei do marco civil da internet que obriga o armazenamento de logs por no mínimo um ano. Levando isso em conta os ISPs encontram na nuvem uma alternativa economicamente viável para dispor de uma infraestrutura de armazenamento que atenda à legislação e caiba no orçamento (com uma solução de cloud computing, elimina-se a necessidade de adquirir infraestrutura própria e custos de manutenção).Os recursos necessários podem ser alocados conforme a demanda à medida que o volume de dados crescer. Quem investe em nuvem compra apenas o que precisa sem subutilizar equipamentos nem desperdiçar dinheiro. Paga apenas pelo uso dos recursos. O consumidor final passa a ter uma melhor experiência devido à baixa latência.

* International Business Development na Binario Cloud

Previous De 1º a 17 de janeiro 80 ISPs são outorgados
Next Empresas têm até o dia 31 para manterem opção pelo Simples

No Comment

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *